sexta-feira, 30 de abril de 2010

Milho doce orgânico é cultivado no Kibbutz Beit Alfa em Israel


O milho doce orgânico Carmel é cultivado no Kibbutz Beit Alfa, uma grande fazenda orgânica no Vale do Harod ao pé da montanha de Gilboa em Israel. Tidhar Jackson, gerente de produtos da Agrexco informou que o milho doce orgânico será comercializado a partir de maio até o final de junho. Ele afirmou ainda que "a principal característica do milho Carmel é a sua alta qualidade que é altamente apreciada pelos consumidores em todo o mundo. O milho mantém seu sabor doce muito depois da colheita e proporciona um prato excelente na primavera."
Os destinos de exportação incluem quase todos os países europeus como o Reino Unido, Itália, França, Alemanha, Holanda e países escandinavos.O milho convencional doce é cultivado na Arava e o Beit Shean Valley que oferecem as condições ideais para um fornecimento constante e de alta qualidade. A exportação terá início uma semana antes de as primeiras remessas milho orgânico.
Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

quinta-feira, 29 de abril de 2010

As pessoas estão subestimando as calorias dos alimentos orgânicos


O rótulo dos alimentos orgânicos pode levar você a comer demais! Pesquisadores apresentam na conferência de Biologia Experimental esta semana um estudo que revela que as pessoas que consomem produtos orgânicos subestimam a quantidade de calorias existentes neles. Os pesquisadores acreditam que as pessoas podem consumir em excesso um alimento que é rotulado como gordura saudável ou baixa. “O rótulo de um alimento orgânico fornece um ‘halo de saúde’”, disse Brian Wansink, professor de Cornell. As pessoas que comeram biscoitos orgânicos rotulados , acreditavam que seu lanche continha 40 por cento menos calorias do que os cookies tradicionais não orgânicos. Segundo os pesquisadores, pessoas costumam comprar alimentos orgânicos e muitas vezes ao lerem os rótulos nutricionais são mais propensos a cometer o erro de subestimar as calorias dos alimentos orgânicos.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Na França,apesar da crise,ocorre um crescimento das vendas de orgânicos nos grandes varejistas


Apesar da crise, os produtos orgânicos registraram um crescimento de dois dígitos em quase todos os segmentos varejistas de grande escala na França. Os produtos alimentares de base chamados "orgânicos" são na verdade uma parte significativa das vendas, é o caso dos ovos (15% do volume de negócios, aumento de 19%) e o leite (10%do volume de negócios, aumento de 27%).
No caso de produtos como frutas e vegetais, apesar de uma tendência boa de vendas (15%) sua participação está limitada a 3%, enquanto os preços ainda são altos. Mesmo para a carne ou alimentos congelados, cujas vendas foram de apenas 0,5%.
Atualmente, todos os produtos orgânicos vendidos em grandes varejistas totalizaram um volume de negócios de 1,5 bilhões de euros (+25%) e a quota média de alimentos orgânicos é de 1,6%.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

terça-feira, 27 de abril de 2010

Os alimentos orgânicos para bebês nos E.U.A podem ter de eliminar os ácidos graxos


Produtores de alimentos orgânicos podem ter de eliminar dois aditivos sintéticos largamente encontrados na fórmula de comida de bebê e leite orgânicos, enquanto se aguarda uma decisão final a ser feita pela administração Obama para manter a indústria de alimentos orgânicos com padrões mais elevados, de acordo com o Wall Street Journal.
A maioria dos fabricantes dos E.U.A de comida para bebê convencional e orgânica complementam os seus produtos com os ácidos graxos DHA e ARA por vários anos, a fim de torná-los mais parecido com o leite materno. Alguns estudos sugerem que o omega 3 ácidos graxos DHA e ômega-6 ácido graxo ARA afetam a cognição e a visão em bebês.
O Departamento de agricultura dos E.U.A, que não põe em causa a segurança dos aditivos, está respondendo a queixas de ativistas de que a administração Bush ignorou os procedimentos adequados quando decidiu incluir versões sintéticas dos ácidos gordos em uma lista de ingredientes não orgânicos que são, no entanto permitidos em produtos que levam o selo orgânico do USDA.
O USDA irá emitir diretrizes este ano, permitindo que os produtores reformulem os seus produtos. Um debate público será permitido durante 60 dias após o lançamento do projeto, e o USDA, em seguida, emitirá uma decisão final, de acordo com o WSJ.


Fonte:The Wall Street Journal

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Na União Européia há um reforço do papel da agricultura orgânica


Espera-se ter um maior enfoque na proteção da biodiversidade na política agrícola da União Européia no futuro, promovendo a agricultura sustentável e atingindo metas de redução de CO2, com isso, a agricultura orgânica irá receber um olhar mais atento,"Há um interesse crescente na agricultura orgânica, nomeadamente no âmbito da preservação do ecossistema", disse Ladislav Miko, Diretor da comissão européia de assuntos ambientais, em um seminário sobre o papel da agricultura orgânica na luta contra as alterações climáticas em 20 de abril 2010. Seus comentários mostram como a UE está preparando uma grande revisão da Política Agrícola Comum (PAC) para o período pós-2013, em uma tentativa de explorar cada vez mais o reconhecido potencial da agricultura para mitigar a mudança climática e produzir vários outros benefícios ambientais, tais como a melhoria do solo e a qualidade da água.
Anna Barnett da direção da Comissão de Meio Ambiente salientou que o foco deve ser a redução da poluição de 96% das terras agrícolas atualmente utilizadas para a agricultura convencional. Ela observou que 50% da água potável da França, por exemplo, precisa ser limpa de pesticidas”. "Precisamos também de mais dinheiro para medidas de desenvolvimento rural para a agricultura orgânica, bem como uma distribuição mais justa dos pagamentos", disse a Sra. Barnett. Segundo Urs Niggli, diretor do FiBL,” a agricultura orgânica na verdade, ajuda na fertilidade do solo, e os serviços ambientais da agricultura orgânica foram "enormes".” Além de melhorar a fertilidade do solo, a produção orgânica também possibilita um aumento de 30% na variedade de espécies de animais,com maior abundância de abelhas,por exemplo, em relação a agricultura convencional”, afirmou Niggli.” Há também uma maior capacidade de retenção de água e um maior teor de água no solo”, acrescentou.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

domingo, 25 de abril de 2010

A agricultura orgânica na América do Norte em 2010


Na América do Norte, quase 2,5 milhões de hectares são geridos de forma orgânica, que representam cerca de 0,6 por cento da área agrícola total. A maior parte da terra cultivada de forma orgânica está nos E.U.A.
Sete por cento da terra cultivada com técnicas orgânicas do mundo está na América do Norte. Apesar de tempos econômicos difíceis, as vendas de produtos orgânicos, alimentares e não-alimentares, atingiu 24,6 bilhões de dólares no ano de 2008. A OTA (Organic Trade Association) no Canadá calculou que as vendas internas atingiram dois bilhões de dólares canadenses em 2008.
Em 2009 foi um ano importante para o setor orgânico no Canadá: em 30 de junho de 2009, o Canada Organic Regime foi estabelecido, Incluindo normas nacionais obrigatórias, de rotulagem e um novo logotipo nacional. Em Junho de 2009 foi elaborado uma equivalência entre o Canada Organic Regime e o Programa Nacional Orgânico dos E.U.A e a partir de 01 de julho de 2009, ela foi alcançada. O primeiro acordo de total reciprocidade entre regulamento dos sistemas orgânicos, ganhou atenção da mídia internacional.

Fonte: The World of Organic Agriculture, edition 2010
Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

sábado, 24 de abril de 2010

As vendas de alimentos orgânicos cresceram no Reino Unido


No supermercado, você tem mais opções do que nunca, e um número crescente de consumidores estão optando por produtos orgânicos. O relatório da Organic Trade Association (OTA) afirma que as vendas de alimentos orgânicos no Reino Unido ultrapassaram cerca de 5% no ano passado.
"Eu acho que é uma das maiores tendências de crescimento", disse Mike Lamontagne, Diretor de Merchandising da Bloom grocery stores. "Orgânico é sinônimo de ser saudável, de uma alimentação saudável, e isso é mais importante para os consumidores nestes dias", disse ele. As frutas e vegetais orgânicos são os mais vendidos, mas outros alimentos estão ganhando popularidade, incluindo o pão e leite.
Mas, nem todos estão olhando para o selo de produto orgânico. Alguns consumidores dizem que o preço de etiqueta é o fator decisivo no que comprar, e alimentos orgânicos são normalmente mais caros.

Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

sexta-feira, 23 de abril de 2010

O setor orgânico do Chile

Setor agrícola

Principais produtos agrícolas do Chile incluem uvas, leite de vaca, carne de frango, carne de bovinos, carne de porco, maçã, tomate, trigo, milho, batata.

Breve descrição da agricultura orgânica

Há 13.564 hectares de terra orgânica do Chile e cerca de 550 explorações orgânicas que operam no país. A terra orgânica perfaz 0,1% das terras aráveis do país. A maioria, (80%) da produção de orgânicos no Chile é exportada. O governo está apoiando a indústria orgânica através do seu Ministério da Agricultura, pesquisas estão sendo realizadas, e a regulamentação aplicada, a fim de melhorar os padrões orgânicos. O Ministério suíço da Agricultura está trabalhando em colaboração com o governo chileno para apoiar a transferência de conhecimentos técnicos de seu setor para melhorar a produção de orgânicos no Chile.

Principais produtos orgânicos

A maioria dos produtos orgânicos do país é exportada. Principais produtos orgânicos no mercado interno incluem frutas e vegetais frescos, azeite e vinho. Os principais produtos exportados são frutas e vegetais frescos, azeite e vinho.


CIA FactBook

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Vendas de Produtos Orgânicos nos E.U. A foram de 26,6 bilhões de dólares em 2009


As vendas de produtos orgânicos continuou a crescer em 2009 nos E.U.A , apesar da situação urgente da economia, a Associação de Comércio Orgânico (OTA), revelou hoje os resultados de 2010 do seu Organic Industry Survey. De fato, a venda de produtos orgânicos em 2009 cresceu 5,3 por cento, chegando a US $ 26,6 bilhões. Desse valor, 24,8 bilhões dólares são de alimentos orgânicos. Os restantes US $ 1,8 bilhões foram vendas de produtos orgânicos não-alimentares.
“Enquanto as vendas de alimentos nos E.U.A cresceu apenas 1,6 por cento em 2009, as vendas de alimentos orgânicos cresceu 5,1 por cento. Estes resultados são indicativos de que, mesmo em tempos difíceis, os consumidores compreendem os benefícios que oferecem os produtos orgânicos e fará outros cortes antes de desistir dos produtos orgânicos ", disse Christine Bushway, Diretor executivo da OTA.
Experimentaram o maior crescimento, frutas e vegetais orgânicos, que representam 38 por cento do total das vendas de alimentos orgânicos, atingindo cerca de US $ 9,5 bilhões em vendas em 2009, um aumento de 11,4 por cento das vendas a partir de 2008. Frutos, e legumes orgânicos agora representam 11,4 por cento de todos os frutos e produtos horticolas vendidos nos E.U.A.
Desde a aprovação das regras da Lei Orgânica Nacional publicada em 2000, as vendas de frutas e legumes orgânicos têm crescido, representando aproximadamente 3 por cento de todos os frutos e produtos hortícolas, ao nível de cerca de US $ 9,5 bilhões e nível de penetração de 11,4 por cento. Entretanto, durante esse período, a venda de alimentos orgânicos cresceram de US $ 6,1 bilhões para $ 24,8 bilhões em 2009, saltando de 1,2 por cento do total das vendas de alimentos nos E.U.A para 3,7 por cento.
O mercado de massa teve a maior parte das vendas de alimentos orgânicos em 2009, com 54 por cento dos orgânicos vendidos em mercearias tradicionais, lojas, clubes e varejistas. Varejistas de produtos naturais foram os mais próximos, com 38 por cento do total das vendas de alimentos orgânicos. Embora ainda representem uma pequena percentagem das vendas, os mercados de agricultores, cooperativas e CSA (agricultura suportada pela comunidade) ganharam um grande interesse porque os consumidores procuram cada vez mais alimentos orgânicos produzidos localmente e regionalmente.
No setor de alimentos não-orgânicos, os suplementos orgânicos proporcionaram 634 milhões dólares em vendas, representando 35 por cento do total das vendas de produtos orgânicos não-alimentares, as vendas de suplemento orgânico foram de 12 por cento maiores que em 2008. As fibras Orgânicas (linho) totalizaram US $ 521 milhões em vendas, perfazendo 10,4 por cento, enquanto os produtos de cuidados pessoais, US $ 459 milhões, constituindo 3.7 por cento de aumento comparado ao ano de 2008.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Assinada nova Lei para promover a agricultura orgânica nas Filipinas


A medida busca o desenvolvimento e a promoção da agricultura orgânica, ou um método agrícola livre de produtos químicos, ela foi assinada pelo presidente Arroyo.
A nova Lei n º 10.068, ou o "Organic Agriculture Act de 2010," estabelece um programa de agricultura orgânica global, que inclui incentivos para os agricultores que se dedicam à produção de culturas agrícolas livres de pesticidas e fertilizantes químicos nocivos.
A nova lei, assinada em dia 06 de abril, também criou um Conselho Nacional de Agricultura Orgânica (NOAB) para fornecer orientação política para a promoção da agricultura orgânica, numa tentativa de promover uma cidadania saudável e um ambiente favorável ao meio ambiente.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

terça-feira, 20 de abril de 2010

Setor de orgânicos do Uruguai


Setor agrícola

Principais produtos agrícolas do Uruguai são a carne de bovinos, leite de vaca fresco, arroz em casca, trigo, soja, uva, lã, carne de frango, carne de ovino, semente de girassol.

Breve descrição da agricultura biológica

Existem 759.000 hectares de terras orgânicas no Uruguai e cerca de 500 explorações que operam no país. A terra orgânica perfaz 5,1% das terras aráveis do país. Carnes, mel e vegetais são mais produzidos em fazendas orgânicas do Uruguai. O mercado interno do país ainda é pequeno e os produtos orgânicos são vendidos através da entrega em casa, nos mercados de agricultores, em fazendas de vendas e supermercados.

Principais produtos orgânicos

Exportações de carne, vinhos, mel, arroz, leite e frutas cítricas.Os produtores de orgânicos são representados pela Associação de Produtores Orgânicos do Uruguai (APODU).

Fonte:CIA FactBook
Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Cresce a produção de alimentos orgânicos no Estado do Texas - EUA


Economistas do Serviço de Extensão AgriLife do Texas observaram tendências crescentes relacionadas com a produção de alimentos orgânicos em todo o Estado norte americano,baseados nas vendas em 2008 que totalizaram US $ 149 milhões, de acordo com um levantamento inicial do Departamento de Agricultura dos E.UA, o National Agricultural Statistics Service.
No Texas, há 342 fazendas que produzem produtos orgânicos em 314.000 hectares, a maioria em pastagem (242.000 acres), de acordo com o Departamento de Estatísticas. Os alimentos orgânicos provenientes do Texas incluem leite, amendoim, hortaliças, batata, melão e algodão, disse Dean McCorkle, economista do AgriLife.
"Dos US $ 149 milhões em vendas à vista, 90 por cento das vendas, ou 134 milhões dólares são gerados por 10 por cento das explorações agrícolas", disse ele. "Quase a metade das fazendas orgânicas tem vendas anuais de US $ 5.000 ou menos."
A crescente conscientização da população está contribuindo para o aumento da procura de produtos alimentares orgânicos no varejo nos E.U.A que cresceram de US $ 3,6 bilhões em 1997 para US $ 21,1 bilhões em 2008, de acordo com os economistas da AgriLife.
"Os alimentos orgânicos são vendidos em mais de 20.000 lojas de produtos naturais e correspondem a quase três quartos das mercearias tradicionais em todo o país", disse o Marco Palma, economista da AgriLife.
Os pontos de comercialização direta, como os mercados dos agricultores fornecem uma configuração ideal para a compra de produtos orgânicos devido à interação com os clientes. Os mercados de agricultores têm crescido substancialmente nos últimos anos, existem atualmente mais de 100 mercados de agricultores no Texas sozinho e mais de 5.200 em todo o país.
Animais e produtos de aves representam a maior parte de todos os produtos orgânicos vendidos no Texas.O leite orgânico de vaca totalizou US $ 80,9 milhões em vendas em 2008. As vendas orgânicas totalizaram 43,2 milhões dólares em 2008, liderada pelo amendoim, legumes, batatas e melão e algodão. As vendas no setor pecuário e de aves totalizaram US $ 14,9 milhões.
"A maioria dos recursos veio da venda de vacas leiteiras e de bezerros", disse McCorkl.
Os produtores orgânicos no Texas tiveram uma despesa de US $ 121 milhões na produção orgânica, tendo como o item de maior custo os alimentos para os animais perfazendo US $ 51 milhões. As fazendas orgânicas no Texas tiveram despesas operacionais média de 330.157 dólares por exploração, em comparação com 171,198 dólares a nível nacional.
A saída mais comum do mercado para os produtores orgânicos era dos mercados de revenda, com 91,7 por cento das vendas. Os maiores compradores foram revendedores de cadeias de supermercados convencionais, representando 36,1 por cento das compras, seguido por cooperativas de produtores (28,3 por cento) e distribuidores, atacadistas, corretoras e re-embaladores (12,7 por cento).

Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

domingo, 18 de abril de 2010

Peru consolida-se como o primeiro exportador de banana orgânica


Com uma produção durante todo o ano, a região de Piura (Peru) se consolida como grande fornecedor mundial de banana orgânica. Dante Moreno, presidente da Associação dos Produtores de Bananas em Pequena Escala (APPBOSA) destaca que a área de produção chega a 5.000 hectares e está crescendo ano a ano.
O interesse particular no setor da banana orgânica baseia-se no preço. As bananas convencionais chegam a US$ 2,00 a caixa e as orgânicas poderia buscar um preço de US$ 4,00 a caixa ou superior.A produção semanal no Valle del Chaira pode chegar a até 80 contêineres.

Concorrência

Talvez, o Equador poderia ser um grande concorrente, mas a concentração de bananas convencionais deixa o país para trás. A República Dominicana tem sido amplamente reconhecida sobre a produção orgânica, mas as condições climáticas têm afetado a sua produção. As condições na República Dominicana melhoraram os benefícios para as exportações do Peru desde o aumento de seus preços entre 10 e 15%.

Estatística

- 85% das exportações peruanas são de orgânicas.
- As receitas foram de 52,3 milhões de dólares em 2009 (um aumento de 14,8% relativamente a 2008)
- Volume total aumentou 6,7%, para os E.U.A, o aumento foi de cerca de 20%.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

sábado, 17 de abril de 2010

O setor orgânico no Paraguai

Setor agrícola

Os principais produtos agrícolas do Paraguai são a soja, carne de bovinos, mandioca, carne de porco, leite de vaca fresco, trigo, milho, ovos de galinha, cana de açúcar e carne de frango.

Breve descrição da agricultura orgânica

Há 17.705 hectares de terra com cultivo orgânico no Paraguai e cerca de 3.490 explorações agrícolas de orgânicos que operam no país. 0,1% das terras aráveis do país são para cultivo orgânico. 90% da produção orgânica são realizadas por pequenos agricultores. O mercado interno de produtos orgânicos ainda é pequeno, no entanto, vários supermercados vendem produtos orgânicos, como açúcar e chá mate. O Ministério da Agricultura está trabalhando em colaboração com Arasy Orgânica para reforçar a capacidade técnica no setor orgânico.

Principais produtos orgânicos

Principais produtos orgânicos incluem o açúcar, o que ajudou significativamente o Paraguai, pois o mercado vinha caindo devido aos preços reduzidos do açúcar. O mercado interno de produtos orgânicos é mínimo, mas inclui legumes, açúcar, chá mate.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

sexta-feira, 16 de abril de 2010

A melhor cadeia de varejo da Europa é a COOP Itália


A COOP Itália foi creditada como a primeira cadeia de grande varejo na Europa, que possui responsabilidade social corporativa. Segundo a "Consumer International", uma reunião de Associações com mais de 220 organizações de consumidores em 155 países, concluiu que a Coop Itália é a varejista líder na Europa para a responsabilidade social corporativa.
Esta associação tem realizado um levantamento dos grandes varejistas na Bélgica, Dinamarca, França, Grécia, Itália, Polônia, Portugal e Espanha, examinando as políticas de condições de trabalho e relações de negócios nas cadeias de fornecimento de produtos provenientes de países em desenvolvimento.
A COOP Itália está em primeiro lugar, seguida pela COOP Dinamarca - à distância - por outros concorrentes. A razão do reconhecimento da COOP Itália é a sua certificação ética SA 8000 – onde a COOP pode se gabar que desde 1998, foi à primeira na Europa e uma das primeiras empresas no mundo – onde todas as atividades relacionadas, têm o compromisso com o desenvolvimento do comércio justo.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Cresce no México produção e exportação de alimentos orgânicos

A produção de alimentos orgânicos, livres de praguicidas e fertilizantes, vem crescendo no México, onde se exportam entre 85 e 90 por cento dessas ofertas, sustenta uma especialista da Universidade Autônoma de Chapingo.Rita Schwentesius, pesquisadora dessa prestigiosa academia agropecuária nacional, afirmou que o mercado interno de produtos livres de agroquímicos ainda se encontra em uma etapa incipiente e só ocupa cinco por cento da oferta na demanda doméstica.Acrescentou que a maioria da população não conhece os produtos orgânicos e aqueles que os consomem buscam mudar hábitos de alimentação para reverter problemas de saúde.A especialista da Universidade de Chapingo, localizada nas periferia do Distrito federal, explicou que desde 2003 foram feitos esforços para impulsionar esse setor, com a promoção de pequenos mercados aos quais vão os produtores diretos.Afirmou que as áreas onde se produzem e processam os orgânicos ocupam 10 por cento do potencial agrário do país, enquanto se calcula que suas exportações geram rendimentos de 300 milhões de dólares.Entre as colheitas livres de agroquímicos destacam-se as de cogumelos, cacau, cereais, café e as culturas de agave e maguey para a produção de mezcales e tequilas, entre muitos outros.Ao referir-se ao desenvolvimento da rede de mercados com produtos orgânicos nas diferentes regiões do país, pontualizou que estados do sul do país como Oaxaca, Chiapas e também Veracruz, destacam-se entre as 10 demarcações com mais avanços.Schwentesius explicou que a nível nacional essas produções estão regulamentadas pela Lei de Produtos Orgânicos e se requer certificação oficial para a criação de empresas.Referiu-se que os alimentos orgânicos têm a virtude de estarem livres de hormônios, antibióticos, resíduos de metais pesados, colorantes e aromatizantes artificiais.Comentou que como promoção desses produtos na própria Universidade de Chapingo são instalados todos os sábados 40 postos de ofertas e onde se detectou que vão pessoas até de três gerações de uma mesma família.


quarta-feira, 14 de abril de 2010

O setor orgânico na India


Setor Agrícola

O setor agrícola da Índia representa 18,6% do PIB e envolve 60% da força de trabalho total. Durante os últimos cinco anos, o setor agrícola tem testemunhado um grande aumento na produção e na produtividade de grãos, oleaginosas, frutas, legumes, aves e leite. A Índia emergiu como o segundo maior produtor de frutas e vegetais do mundo. Além disso, é também o maior exportador de caju e especiarias. Outros produtos agrícolas são: algodão, juta, chá, açúcar, bovinos, bubalinos, ovinos, caprinos, aves e peixes (FAOSTAT). O uso da terra é dividido da seguinte forma: 49% de terras aráveis, 3% culturas permanentes, outros 47% (CIA)

Breve descrição da agricultura orgânica

De acordo com o Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola (FIDA), a produção orgânica na Índia vem crescendo continuamente nos últimos anos. Na Índia, tem havido um notável crescimento na agricultura orgânica e 332 novas certificações orgânica foram emitidos em 2004. O Instituto de Pesquisa de Agricultura Orgânica (FiBL) relataram um total 12.000 fazendas orgânicas que operam no país em 2003. O Food Products Export Development Authority (APEDA) estimou em 200.000 hectares de terra orgânica certificada, principalmente cultivada por pequenos produtores. Recentemente, um número crescente de empresas, ONGs, organizações de agricultores, e agências governamentais promovem a agricultura orgânica na Índia. O crescimento da produção orgânica tem sido impulsionado principalmente pelo aumento da demanda internacional, mas o mercado interno também está fortalecendo devido a uma grande parte de a população indiana ter aumentado as suas rendas. (FIDA).

Principais produtos orgânicos

Produtos orgânicos certificados provenientes da Índia inclui chá, arroz, bananas, algodão, trigo, especiarias (principalmente pimenta e gengibre), café, nozes, legumes e produtos à base de plantas. A maioria destes produtos são vendidos em formas semi-processados ou crus (IFOAM & FiBL). A maioria das fazendas vende seus produtos orgânicos para os mercados internacionais, mas há um mercado emergente de pequenos consumidores.
A APEDA criou um Programa de Produção Orgânica (Npop), a fim de promover e apoiar o setor da agricultura orgânica na Índia. O INDOCERT é um organismo de certificação nacional, credenciados pelo Npop, que conta com a colaboração técnica do FiBL e é apoiada financeiramente pela SECO. A produção orgânica tem atraído nos últimos anos um crescente reconhecimento político por parte do governo indiano, tanto a nível central e local. Em novembro de 2006, a segunda edição da Índia Orgânica 2006 teve lugar em Lalbagh, Bangalore. Esta feira orgânica de negócios foi organizada pelo Centro de Competência Internacional de Agricultura Orgânica (ICCOA) com o apoio ativo da IFOAM e do Governo da Suíça (SECO). Ambos ICCOA e IFOAM configuram uma iniciativa conjunta em Bangalore. O centro visa promover a adoção dos princípios da agricultura orgânica, aproveitando as oportunidades oferecidas pelo grande desenvolvimento das partes interessadas na Índia. Há projetos em curso de cultivo de algodão orgânico executado pela Maikaal Biore da Índia.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

terça-feira, 13 de abril de 2010

Aumenta o Debate sobre o valor dos alimentos orgânicos

Enquanto as vendas de alimentos orgânicos aumentam nos E.U.A,
o governo federal se esforça para assegurar que sejam cumpridas as normas
de rotulagem como orgânicos da USDA

As vendas de alimentos orgânicos nos Estados Unidos estão aumentando dois dígitos anualmente. O governo diz que, em 2009, os caixas de supermercados e mercados de agricultores recolheram 28 bilhões de dólares provenientes da venda de frutas, legumes e carne sem drogas e pesticidas.
Mas, com o crescimento do mercado orgânico, aumentam as perguntas sobre o que os consumidores estão realmente comprando com o seu dinheiro. Enquanto as vendas de alimentos orgânicos sobem, o governo norte americano se esforça para assegurar que os produtos rotulados como orgânicos pelo USDA realmente cumpram as suas normas.
No mês passado, o Departamento de agricultura dos E.U.A divulgou um relatório encontrando falhas significativas no Programa Nacional Orgânico.
Seguiu-se a um relatório do governo britânico que declara que os alimentos orgânicos não são melhores para a saúde dos consumidores do que o tipo convencional. E na terça-feira à noite em Nova York, um painel irá debater a premissa de que "O alimento orgânico é Marketing Hype", como o título do evento coloca. Este evento é patrocinado pela NPR e Bloomberg TV.
"A indústria de alimentos orgânicos são agora confrontadas com os desafios de melhorar a qualidade e o valor, em uma era de crescimento constante, enquanto luta contra um diversificado mix de produtos baratos, os ataques ostensivos e a desinformação", diz Chuck Benbrook, cientista do Centro Orgânico, que é um dos debatedores da terça-feira.
Outros cientistas apóiam que os alimentos orgânicos sejam submetidos a controles mais rigorosos do que os outros víveres. Mas como os céticos suscitem dúvidas, a possibilidade de uma reação anti-orgânica pode acontecer. Ao mesmo tempo, porque o USDA não pode garantir que as suas normas estão sendo cumpridas, cadeias de supermercados que vendem produtos orgânicos têm de se preocupar se eles estão dando clientes o que eles pensam que estão recebendo.
"É uma preocupação permanente”, diz Trudy Bialic, diretor de relações públicas da PCC Natural Markets, “algo que temos de pensar o tempo todo."


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Os consumidores perdem o interesse em alimentos orgânicos na Grã bretanha


As venda de produtos orgânicos na Grão Bretanha diminuíram 13 por cento em 2009 depois de mais de 15 anos de contínuo crescimento ano-a-ano.As maiores quedas foram nas vendas de pão (-39 %), alimentos refrigerados (-21 %) e aves (-28 %).A venda de ovos orgânicos também caiu 20 por cento.No entanto, as vendas de leite orgânico mostrou 1 por cento de crescimento, apesar de um declínio global no valor das vendas de lácteos.
Segundo a Soil Association Organic Market Report, o valor total dos produtos orgânicos vendidos no ano passado foi de £ 1.84 bilhões em relação ao recorde de £ 2,1 bilhões em 2008.As vendas dos supermercados caíram 12 por cento, mas ainda representam mais de 70 por cento do total das vendas em 2009. Varejistas independentes e os mercados dos agricultores sofreram maiores quedas de cerca de 20 por cento nas vendas orgânicas.

Crescimento do Comércio Justo

O declínio nas vendas de orgânicos em 2009, contrasta com um aumento de 12 por cento nas vendas de Comércio Justo no mesmo período. Em fevereiro, a Fundação do Comércio Justo relatou vendas de varejo totais no valor de £ 800 milhões para 2009.Apesar da queda, a Soil Association prevê que o mercado se recupere em 2010 e cresça em torno de 2,5 por cento.
"A confiança está voltando, e com o crescente reconhecimento da necessidade de sistemas de produção ambientalmente sustentável, que são menos dependentes dos combustíveis fósseis, estamos confiantes de que o mercado orgânico, depois de ter resistido a uma recessão, vai retornar o crescimento", disse o diretor Peter Melchett da Soil Association.
Apesar de tudo os produtos orgânicos de saúde e beleza cresceram £ 36 milhões. As vendas de têxteis, estimadas em £ 100 milhões, permaneceram estáticas em 2009. O relatório da Soil Association também relataram um estudo do porquê os consumidores compram orgânicos. As três principais razões dadas foram que o produto não é processado,com a regulamentação a utilização de pesticidas é restrito, e que os produtos geralmente tem um gosto melhor.As questões de bem-estar animal e da exclusão de produtos geneticamente modificados foram classificados em sétimo e oitavo lugares, respectivamente.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

domingo, 11 de abril de 2010

O setor orgânico no Japão


Setor Agrícola

A importância econômica da agricultura no Japão diminuiu rapidamente desde 1950, atualmente o setor constitui 1,7% do PIB nacional e emprega 4,6% da força de trabalho total. Uma característica marcante da agricultura japonesa é a escassez de terras agrícolas. Cerca de 11,64% da área total é cultivada (CIA, 2007). O Japão é assim um grande importador de alimentos. De acordo com a FAOSTAT (2005-06), o Japão é o maior importador de carne de porco, frango e milho enlatado, o segundo maior importador de carne bovina, soja e trigo, e um grande importador de frutas e legumes. O arroz é a principal cultura produzida internamente. O arroz é plantado com trigo e cevada no outono e com batata-doce, legumes no verão. O consórcio é comum: essas culturas são alternadas com os feijões e ervilhas. Embora a produção seja mantida em alto nível, graças ao uso de fertilizantes e com máquinas agrícolas avançadas, o setor agrícola no Japão sofre muitas limitações, como a diminuição das terras aráveis.

Breve descrição da agricultura Orgânica

Segundo a IFOAM & FiBL (2006), a área sob manejo orgânico no Japão é de 29.150 hectares, o que representa 0,56% do total das terras agrícolas. Existem atualmente 4,539 fazendas orgânicas registradas no Japão. As mesmas restrições que afetam a agricultura convencional também têm um impacto na produção de culturas orgânicas. Além disso, as condições de clima quente e úmido japonês, torná-lo ainda mais difícil de cultivar sem adubos químicos. As tendências da produção de alimentos orgânicos e vegetais parecem estar se movendo para as linhas de produtos de valor agregado, como saladas e misturas pré-embaladas. Espera-se que, embora a agricultura convencional ainda esteja em declínio, produtos orgânicos certificados aumentarão tanto na área de produção e na gama de produtos. Após alguns anos de confusão entre os alimentos verdes (baixa utilização de pesticidas químicos) e alimentos orgânicos, a nova lei do governo japonês em vigor em 2001 (JAS - Normas para Agricultura Orgânica, Produtos Agrícolas e Alimentos orgânicos Processados), com uma definição clara de alimentos orgânicos e rigorosas regras de certificação e de importações.

Principais produtos orgânicos

Produtos orgânicos certificados do Japão inclui: arroz, verduras, chá verde, batata doce, inhame, abóbora, batata, frutas cítricas e outras frutas. Potencialmente, o Japão pode ser um enorme mercado de alimentos orgânicos. Atualmente, a demanda supera a oferta interna e a maioria dos produtos orgânicos é importada. A demanda por alimentos orgânicos está crescendo rapidamente no Japão, e espera-se que isto continuará no futuro.

Fonte:http://www.maff.go.jp
Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

sábado, 10 de abril de 2010

A Manitoba Organic Alliance do Canadá está marcando seu primeiro ano de funcionamento nesta semana


Uma nova organização que representa as empresas de alimentos orgânicos de Manitoba - Canadá, está marcando seu primeiro ano de funcionamento nesta semana.O crescimento, e outros desafios são alguns dos problemas que os produtores da Manitoba Organic Alliance vão discutir na sua segunda reunião anual a nível comunitário no Headingley Centro, no sábado.
Organizada no ano passado com a ajuda de financiamento provincial, a MOA tem como coordenador executivo, Deborah Unger, que disse que o grupo irá falar em nome do setor produtivo orgânico sobre questões de regulamentação e implementação das leis."Até este ponto, os produtores orgânicos não têm sido capazes de agir como um grupo coeso", disse ela. "Isso foi uma das razões para pôr a organização em funcionamento".
"Nos últimos sete anos, tivemos muito mais produtores locais entrando em contato conosco", disse Deborah. "Eu sinto que o movimento está crescendo. Os agricultores estão aumentando a produção de alimentos, mas talvez não estejam investindo no marketing pessoal” completou.Ela afirmou ainda que a rede que está desenvolvendo e fortalecendo os produtores está permitindo mais acesso aos varejistas e vice-versa, mas a comunidade de produtores orgânicos tem sentido a recente desaceleração econômica.
John Finnie, que tem uma diversificada produção de grãos orgânicos e sementes oleaginosas perto de Virden, afirma que a recessão, combinada com um aumento do número de produtores orgânicos no mercado, colocou pressão adicional sobre todos os agricultores orgânicos.
Mas ele disse que na sua fazenda com cerca de 400 hectares de terras de cultivo orgânico - construiu-se um crescente mercado para todos os seus produtos ao longo dos últimos cinco anos, ele e sua família estão totalmente comprometidos com a abordagem orgânica sustentável."Demorou cinco anos para chegar à certificação orgânica da terra e para ser honesto, foi um bocado de esforço nos primeiros anos", disse ele. "Mas nós sentimos que estamos à beira de um avanço quando se trata de rendimentos e rentabilidade global."
Em 2008, existiam cerca de 300 produtores orgânicos certificados e processadores em Manitoba, e cerca de 40.000 hectares dedicados à agricultura orgânica.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Contradição no USDA (E.U.A) sobre as novas regras de pastagem orgânica


De acordo com as novas regras do USDA (E.U.A) sobre o pasto orgânico, lançado em fevereiro de 2010, a utilização de pastagens é necessária na produção de leite orgânico, mas bovinos orgânicos podem ser dispensados de obter qualquer um dos seus alimentos em pastagem durante os últimos quatro meses de vida.
A regra estabelece que os produtores orgânicos devam "manter todos os animais ruminantes em pastagem", mas, numa aparente contradição, pode também utilizar simultaneamente "estaleiros ou locais de engorda" antes do abate, em bovinos durante os últimos 120 dias ou um quinto da vida do animal, o que for menor. Durante estes 120 dias, estes animais orgânicos são isentos da obrigação de obter pelo menos 30% do consumo de matéria seca (CMS) da pastagem.
O USDA está procurando opiniões a respeito de se a linguagem corrente deve ser fortalecida ou enfraquecida. A determinação final sobre esta linguagem vai definir mais claramente como a carne orgânica deva ser produzida.
Para ganhar uma compreensão mais profunda das práticas correntes na indústria da carne orgânica, o Instituto de Pesquisa Cornucopia entrevistou produtores de carne orgânica através dos Estados Unidos. Os resultados da pesquisa revelaram que 80% dos produtores de carne orgânica colocam o gado para pastar até o abate, não os colocando a qualquer tipo de confinamento. Na verdade, 60% dos produtores de carne orgânica utilizam grãos para alimentar seu gado (100% alimenta-os com erva), enquanto 20% mantêm o gado no pasto, mas dão pequenas quantidades de grãos. A nova regra de isenção de impostos no abate de ruminantes alimentados no pasto, portanto, não é necessário para a grande maioria dos produtores de carne orgânica.
No entanto, o restante de um quinto dos produtores de carne orgânica está usando atualmente confinamentos, o Instituto Cornucopia entende que não há apoio de alguns dos intervenientes para a obtenção de uma isenção de 30% das taxas para as ações de abate de ruminantes. Estes agricultores, pecuaristas e os operadores de confinamento atualmente produzem a maioria da carne orgânica do país.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

quinta-feira, 8 de abril de 2010

O setor de orgânicos na China


O setor de orgânicos na China tem expandido rapidamente na última década. A China é o primeiro país da Ásia e o segundo do mundo em total de hectares de terra sob cultivo orgânico. Com 3.466.570 hectares, representando 0,60% da área agrícola total, cerca de 1560 agricultores chineses usam métodos de produção orgânica.
Este crescimento na produção de orgânicos foi impulsionado não só pelo aumento da demanda internacional, mas também por um mercado interno em expansão em áreas urbanizadas, que mostrou o crescimento do mercado até 30%. A crescente demanda internacional e à expansão do mercado interno de produtos orgânicos indica que o setor tem potencial para desenvolver ainda mais no futuro.

Principais produtos orgânicos

Os produtos orgânicos certificados provenientes da China inclui o chá, abóbora, sementes de girassol, produtos de soja, cogumelos diversos, plantas medicinais, e feijão preto. A maioria destes produtos são vendidos em formas semi-processados ou crus.
A maioria das fazendas de frutas orgânicas existentes atualmente produz para o mercado interno, mas que visam o mercado internacional em longo prazo. Os produtos chineses orgânicos são exportados principalmente para Europa, Japão e E.U.A. As exportações de alimentos orgânicos na China totalizaram 142 milhões de dólares em 2003 e 200 milhões em 2004.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Europa Oriental também se aproxima da revolução orgânica


Especialistas prevêem um futuro brilhante para a indústria de orgânicos na Europa Oriental. De acordo com dados do Eurostat, entre 2007 e 2008, o segundo, terceiro e quarto maiores aumentos no valor total de terras utilizadas para a agricultura orgânica na União Européia foram registradas na Bulgária (22%), Eslováquia (19%) e Hungria ( +15%). No período compreendido entre 2005 e 2008, os maiores aumentos foram encontrados na Polónia (94%) e Lituânia (89%).
“Embora a taxa de crescimento do consumo de produtos orgânicos tem caído durante a recessão global, nos últimos anos têm visto um aumento enorme na agricultura orgânica, produção e consumo de alimentos na Europa Oriental, e o mercado está se desenvolvendo muito rapidamente - apesar da recessão”, afirma Christof Arndt, coordenador do grupo sem fins lucrativos EkoConnect baseado em Dresden que promove projetos para o desenvolvimento da agricultura orgânica na Europa Oriental.
Especialistas dizem que o aumento do número de fazendas orgânicas e na produção e consumo de alimentos orgânicos tem sido impulsionado por subsídios introduzidos pelos governos na última década, combinado com as pessoas cada vez mais informadas sobre alimentos orgânicos e mudando suas dietas.
Com a queda do comunismo, a agricultura deixou de ser coletivizada e controlada pelo Estado. Alguns agricultores começaram a oferecer produtos orgânicos, que os consumidores inicialmente viam como uma curiosidade. Mas, na última década, o consumo de alimentos orgânicos tem aumentado drasticamente, e muitos mais fazendas e estabelecimentos foram estabelecidas.
O Ministério da República Checa, afirmou no mês passado que quase 10 por cento das terras agrícolas no país está agora entregue à agricultura orgânica - o dobro do que na Alemanha, de acordo com a EkoConnect. O número de fazendas orgânicas Checa no final de 2009 cresceu para 2700 - um salto de 50 por cento comparando-se com 2008. O Consumo de produtos orgânicos cresceu 40 por cento no ano de 2008 elevando-se para 1.8 mil milhões de coroas checas (69 milhões de euros).
Na Bulgária, a quantidade de terra utilizada para a agricultura orgânica tem aumentado. Quase que dobrou entre 2002 e 2007, de acordo com o ministério da agricultura do país. Na Polônia, haviam 14.900 fazendas orgânicas registrado em 2008 - a partir de apenas 300 em 1996.
Na Polônia, o produtor de alimentos orgânicos Symbio afirma que a venda de alimentos orgânicos cresceu 300 por cento em 12 meses, entre 2007 e 2008. Na República Checa, o consumo de alimentos orgânicos cresceu 70 por cento no ano de 2007, de acordo com EkoConnect.
No entanto, a indústria de alimentos orgânicos na região como um todo ainda é pequeno em comparação com o Ocidente, apesar de tudo. Segundo o grupo de acompanhamento da indústria Organic Monitor, com sede em Londres, em 2007, enquanto as vendas de alimentos e bebidas em toda a Europa foram de 20 bilhões de euros, na Europa Oriental foi de apenas 60 milhões de euros.
Especialistas dizem que o custo relativo dos alimentos orgânicos está sufocando o consumo da região com alguns dos salários mais baixos em toda a UE. Na Eslováquia, por exemplo, onde o salário médio mensal é de 800 euros, o custo de carne de frango orgânico é de 10 euros por quilo. A carne de galinha não-orgânica está ao redor dos € 2,50.
Muitos produtores do Leste europeu acabam exportando grandes quantidades de matérias-primas para a Europa Ocidental para processamento. Muito do que é vendido na Europa Ocidental, como produtos acabados, tais como biscoitos e produtos lácteos, são enviados de volta para a Europa Oriental para a venda - um processo dispendioso e, argumentam alguns, relativamente hostil ao meio ambiente.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

terça-feira, 6 de abril de 2010

A produção de Orgânicos no Chile


Os principais produtos agrícolas do Chile incluem uvas, leite de vaca fresco, carne de frango, carne de bovinos, carne de porco, maçã, tomate, trigo, milho e batata.

Breve descrição da agricultura Orgânica

Há 13.564 hectares de terra de cultivo orgânico no Chile e cerca de 550 produtores orgânicos que operam no país. A terra cultivada de forma orgânica perfaz 0,1% das terras aráveis do país. A maioria (80%) dos produtos orgânicos produzidos no Chile é exportado. O governo está apoiando a indústria orgânica através do seu Ministério da Agricultura, pesquisas está sendo realizadas, e a regulamentação aplicada, a fim de melhorar os padrões orgânicos. O Ministério suíço da Agricultura está trabalhando em colaboração com o governo chileno para apoiar a transferência de conhecimentos técnicos para melhorar a produção de orgânicos no Chile.

Principais produtos orgânicos

A maioria dos produtos orgânicos do país são exportados. Os principais produtos orgânicos no mercado interno incluem, frutas e vegetais frescos, azeite e vinho. Os principais produtos exportados são frutas e vegetais frescos, azeite e vinho.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Produção de alho negro orgânico na Espanha


O restaurante espanhol Vegetalia começou a produzir alho negro orgânico. O alho negro sofre um processo de fermentação e é muito popular na Ásia, especialmente no Japão, mas ainda relativamente desconhecido na Europa. A comunidade japonesa na região de Mendoza, na Argentina, foi um dos primeiros a desenvolvê-lo fora do país de origem. Este produto é apreciado pelo seu valor antioxidante, para fortalecer o sistema imunológico dando energia. Além disso, contém um alto teor de alicina.
Para trabalhar com a melhor qualidade de alho, o Vegetalia uniu forças com a Bhio Carrión localizada na cidade de Las Pedroñeras, em Castilla la Mancha, na Espanha, onde o alho roxo com denominação de origem e certificação orgânica é cultivado. Então o alho é fermentado pela Vegetalia . Os requisitos para o alho orgânico são iguais às de alho convencional: o produto deve ser arredondado e uniforme. Toda a produção recebe certificação européia e “Sohiscert ", e carrega o rótulo da CCPAE (certificação orgânica do Governo da Catalunha).O Vegetalia está apenas começando a sua Campanha de marketing via internet e em feiras, e as vendas começarão em abril ou maio de 2010. Até agora, os clientes da Alemanha e Portugal já demonstraram interesse no produto.
Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

domingo, 4 de abril de 2010

A produção de orgânicos na Argentina


Há 2.777.959 de hectares de terras orgânicas na Argentina e cerca de 1.578 explorações agrícolas orgânicas que operam no país. A grande maioria dessas fazendas (90%) é pequena ou de médias dimensões. As terras cultivadas de forma orgânica perfazem 2,2% das terras aráveis do país.A Argentina tem a maior área de terra de cultivo orgânico na América do Sul e, a segunda maior do mundo, e ainda sim o nível médio do país de produção é relativamente baixo.
Além disso, existe muita disparidade entre a qualidade da terra e área de terra de cultivo de cada fazenda orgânica. A maioria dos agricultores orgânicos da Argentina trabalha em áreas secas e possuem mais terras, mas apenas 5% são exploradas. Nas áreas mais quentes e úmidas, os agricultores possuem menos terras e ainda detêm mais de 90% das fazendas orgânicas da Argentina. Os produtos orgânicos argentinos incluem cana, lã crua, frutas, legumes e feijão.

Principais produtos orgânicos exportados

As maiores exportações orgânicos incluem cereais e oleaginosas: milho, trigo, soja e girassol. Frutas e verduras também fazem parte das principais exportações de orgânicos da Argentina: peras, maçãs, laranjas, limões, alhos, cebolas e feijão. As exportações de plantas aromáticas e medicinais estão aumentando. Na Argentina também há exportações de outros produtos orgânicos, como o azeite, açúcar, sucos concentrados, mel e vinho.
A lã e carne orgânica também são exportados. O mercado nacional de produtos orgânicos inclui vários produtos diferentes, dos quais frutos de vegetais, óleos, chás, pães, ovos, doces e leite orgânico são os mais produzidos.


sábado, 3 de abril de 2010

Wal-Mart em apuros novamente sobre as práticas de Marketing Orgânico questionaveis


O Instituto Cornucópia apresentou uma queixa no USDA, alegando que o Wal-Mart, e uma empresa da Carolina do Norte, a Homs Llc, estão violando as normas da "USDA Organic", pois estão vendendo óleos convencionais agrícolas, e controladores de pragas convencionais com a palavra orgânico e o selo orgânico da "USDA". Os produtos de controle de pragas em questão são comercializados sob a etiqueta de Bio. O debate tem sido travado há anos se produtos não alimentares para humanos, tais como alimentos para animais e produtos de higiene pessoal, estão incluídos nos regulamentos estritos que determinam o uso da palavra "orgânico" nas embalagens.
A maioria desses produtos, pelo menos, teve ingredientes orgânicos envolvidos na sua produção, enquanto produtos de controle de pragas não contém um único ingrediente de produção orgânica. No entanto, nunca houve qualquer dúvida de que o selo "USDA Organic" só pode ser utilizado pelos produtores que seguem os rigorosos padrões determinados pelo Congresso Nacional e administrado pelo Departamento do Programa de Agricultura Orgânica, de acordo com o Instituto Cornucópia.
Além de usar a palavra orgânico proeminente em seu rótulo, a empresa Homs usa o selo USDA em pelo menos um de seus produtos, o Bio Block, sem especificar que foram utilizados ingredientes orgânicos e sem revelar a identidade do agente biológico de certificação, que também é exigido pelo regulamento federal dos orgânicos. Os produtos Bio Block que parecem violar as normas orgânicas foram descobertos nas prateleiras das lojas Wal-Mart.
O Cornucópia alega que não os agricultores, processadores de alimentos e certificadores que devem garantir que os alimentos rotulados "orgânicos" sejam verdadeiramente orgânicos, mas os varejistas têm um papel importante também.Os varejistas devem investir nos recursos necessários para garantir a integridade orgânica em suas lojas.


Tradução e Pesquisa:Bioplastic News

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Agricultura orgânica turca lutando para crescer

De acordo com dados fornecidos pela Universidade de Adana, na Turquia, a agricultura orgânica turca representa apenas um volume de negócios superior a 150 milhões de dólares norte americanos, em comparação com um montante global de mais de 46 bilhões de dólares em 2008. Existem 9.384 empresas oficialmente registradas na Turquia, com uma área total de 141.752 hectares e uma produção total superior a 415.000 toneladas.A Turquia é considerada particularmente adequada para a agricultura orgânica, mas, infelizmente, estas culturas não são generalizadas e estão lutando para obter uma participação em ambos os mercados, doméstico e internacional, para se tornarem como a Itália líderes mundiais.É importante salientar que tanto o Ministério da Agricultura e as associações do setor, bem como a TIM (Instituto Nacional dos Exportadores Turcos) estão tentando desenvolver e implementar planos estratégicos que visam aumentar a produção do país e as exportações de alimentos orgânicos e produtos hortícolas.

Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

quinta-feira, 1 de abril de 2010

As normas são diferentes para os produtos orgânicos


"As normas são diferentes para os produtos orgânicos no que diz respeito às frutas e legumes, laticínios e carnes, cosméticos, alimentos processados e de algodão e café, e até mesmo clientes esclarecidos podem se confundir com isso”. Afirma Julie Deardorff em artigo no Chicago Tribune.
Ela afirma ainda que a discussão entre os nutricionistas sobre se os alimentos orgânicos são nutricionalmente melhor e disse que seria difícil dizer definitivamente de uma maneira ou de outra. No entanto, muitos escolhem orgânico não só para a saúde pessoal, mas para a saúde do meio ambiente e dos agricultores.
Para frutas e legumes, os produtos orgânicos significam menos pesticidas e diminuição dos níveis de nitrato de frutas e hortaliças convencionais. Segundo o artigo os peritos da saúde afirmam que resíduos de pesticidas representam um risco pequeno para a maioria dos consumidores, mas os produtos químicos sintéticos podem ser tóxicos para o cérebro e o sistema nervoso de fetos e crianças. O Environmental Working Group recomenda a compra de pêssegos cultivados organicamente, maçãs, pimentões, salsão, nectarinas, morangos, cerejas, couve, alface, uvas e peras importadas.
Os Laticínios orgânicos e produtos de carne provenientes de animais não tratados com antibióticos ou hormônios de crescimento, explicou, observam as novas regras de "acesso a pasto", que exigem que os animais pastam durante um mínimo de 120 dias. Ela salientou que a importância da dieta dos animais é a chave, dizendo: o leite orgânico tem mais vitaminas, antioxidantes, ácidos graxos ômega-3 e o ácido linoleico conjugado, e a carne orgânica tem níveis mais elevados de ômega-3 e menor gordura total. Além disso, comer carne orgânica evita a ingestão de antibióticos, o que aumentou a disseminação de genes resistentes a antibióticos em bactérias.
Os produtos orgânicos para cuidados pessoais não são tão altamente regulamentados, disse ela, acrescentando que produtos podem ser rotulados como "orgânico", mas ainda contém ingredientes sintéticos. Acrescentou que o USDA regulamenta os produtos orgânicos de higiene pessoal somente se eles são feitos de ingredientes de origem agrícola e sugere olhar para o logotipo USDA ao invés da palavra "orgânico" no rótulo.
“Quando se trata de alimentos processados, ela disse que os produtos feitos a partir de pelo menos 95 por cento de ingredientes orgânicos podem levar o selo” USDA Organic se os ingredientes restantes forem aprovados para uso em produtos orgânicos. Produtos com pelo menos 70 por cento de ingredientes orgânicos podem ser rotulados com uma lista de ingredientes..
Ela acrescentou o algodão e café à sua lista, porque são duas das culturas mais intensivas de pesticidas do mundo. Mesmo em produtos de resíduos de pesticidas convencionais geralmente é removido durante o tratamento, mas ela disse, os produtos químicos podem ter um efeito enorme sobre a terra, a biodiversidade e a saúde dos trabalhadores envolvidos.

Fonte:Chicago Tribune
Pesquisa e Tradução:Mundo Orgânico
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...