quarta-feira, 31 de março de 2010

A demanda por produtos ecológicos persiste apesar da desaceleração econômica


Apesar das dificuldades econômicas, mais de um terço (35%) dos que responderam a uma recente pesquisa disseram que estão dispostos a pagar mais por produtos ecologicamente corretos.
"Tendo em conta este aumento de interesse no meio ambiente ao longo dos últimos anos, quase todos os segmentos de produtos de consumo oferecem agora uma opção 'verde' para os seus clientes", comenta Chris Haack, analista sênior da Mintel, que produziu o levantamento.
Ele afirma que os alimentos e bebidas, e produto de higiene pessoal, são as duas categorias mais maduras e perfazem a maioria dos produtos ecológicos no mercado.

Alimentos e Bebidas

Após o rápido crescimento das vendas de mais de 24% a partir de 2006-08, os alimentos naturais e orgânicos e a categoria de bebidas viu apenas um ligeiro crescimento em 2009 (1,8%) quando a recessão tomou conta em quase todos os setores do mercado de bens de consumo. Apesar dessa estabilização, as vendas neste segmento deverão crescer cerca de 20% a partir de 2010 a 2012.
Apenas 21% dos compradores de alimentos orgânicos reduziram ou eliminaram a compra de orgânicos, enquanto 20% passaram a comprar opções mais baratas de orgânicas. Entretanto, quase a metade (48%) está comprando tanto alimento orgânico ou mais do que antes da recessão. Isso sugere que o alimento orgânico é um elemento central do estilo de vida para muitas pessoas que podem fazer cortes em outras áreas do seu orçamento antes de se deixar os orgânicos.

Higiene Pessoal

A venda de produtos ecológicos de cuidados pessoais aumentou 18%, entre2006-08 e semelhante à de alimentos e bebidas, viu apenas uma ligeira inclinação, em 2009 (1,2%). Este segmento está pronto para retomar o crescimento rapidamente, uma vez que o consumo começa a se recuperar da atual crise. Um terço de todos os consumidores nunca usaram produtos orgânicos ou produtos naturais de higiene pessoal, sugerindo que há muito espaço para crescimento neste mercado.
De acordo com a Mintel's Global New Product Database (GNPD), novos produtos orgânicos ou naturais atingiram apenas 5% de lançamento em todo o setor de beleza e cuidados pessoais em 2006, mas aumentou para quase 10% em 2008 e manteve-se estável até 2009.
Segundo Haack, "esperamos ver uma tendência crescente para o crescimento em escala dos produtos verde de higiene pessoal orientados para os spas, salões de beleza e outros pontos de venda nos próximos anos."

Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

terça-feira, 30 de março de 2010

Segundo a Câmara Superior de Controle (NIK) , produtos orgânicos poloneses são de alta qualidade


Segundo a Câmara Superior de Controle Polonesa (NIK),produtos orgânicos poloneses são de alta qualidade. Com o crescimento do número de fazendas orgânicas no país a Polônia coloca-se em sétimo lugar entre os países produtores de orgânicos na União Européia.
Revisando os 50 produtores de orgânicos, entre 2005 e 2009, a NIK constatou que apenas quatro dos 712, ou 0,6 por cento de todas as amostras verificadas não cumpriam as normas estabelecidas pela NIK. Além disso, em nenhuma das amostras foi encontrada organismos geneticamente modificados.
"Não estou surpreso com estes resultados - ao longo dos últimos anos, a indústria de alimentos orgânicos polonesa tem sido muito cuidadosa, e acho que fez um trabalho maravilhoso, porque nós somos ainda uma indústria muita pequena", comentou Artur Tyminski, co-fundador da New Connect-listed Symbio Polska, um dos maiores produtores e transformadores de alimentos orgânicos da Polônia.
Em 31 de dezembro de 2009, havia 17.478 produtores orgânicos na Polônia. Embora o país esteja em décimo lugar na UE em termos de área total das terras agrícolas orgânicas, muito atrás dos líderes como a Estónia, Itália, Dinamarca e Reino Unido, ocorreu um elevado aumento da área agrícola orgânica da Polônia entre 2005 e 2008. Durante esse período, a Polônia obteve um aumento de 94 por cento, em comparação com uma média de 21 por cento da UE.
"O mercado polonês de orgânicos está crescendo muito rápido, e manteve em expansão em toda a desaceleração econômica", disse Tyminski.
Este crescimento foi suportado em grande parte, pela UE e os subsídios poloneses, que forneceu mais de zł.609 milhões e zł.42 milhões, respectivamente, para o setor da agricultura orgânica, entre 2005 e 2009.
Em seu relatório, o NIK chama a atenção para os atrasos nas decisões sobre os subsídios à agricultura orgânica e da imprecisão das regras relativas à produção de alimentos orgânicos e de transformação na Polônia.
No entanto, o principal problema da indústria orgânica da Polônia não é mencionado no relatório, criticou o Sr. Tyminski. Segundo ele, a principal ameaça à indústria é o grande e muitas vezes enganosos uso de termos orgânicos relacionados, como "eco" ou "bio" para impulsionar as vendas de produtos tradicionais. "Teoricamente, existem regras contra isso, mas a lei não é muito rigorosa", afirmou Tiyminski.
Para abordar esta questão, o Symbio Impex Polska está agora trabalhando com a associação Polska Ekologia sobre novas formas de ensinar os consumidores a reconhecer produtos genuinamente orgânicos. "É crucial que os consumidores sejam bem informados sobre a forma como os produtos são produzidos e o que eles contêm", completou Tyminski.E finalizou "Há ainda muito a ser feito."


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

segunda-feira, 29 de março de 2010

Novo projeto-piloto nos E.U.A, garantirá alimentos orgânicos para estudantes


Um projeto-piloto para oferecer alimentos orgânicos saudáveis em programas de alimentação escolar(Hunger-Free Kids Act), foi aprovado pelo Comitê de Agricultura do Senado norte americano no dia 24 de março,uma proposta realizada pela Organic Trade Association (OTA).
No projeto seria autorizado o Secretário de Agricultura estabelecer um programa piloto de alimentos orgânicos que forneça recursos, numa base competitiva para as autoridades de alimentação escolar aumentar a quantidade de alimentos orgânicos fornecidos aos alunos no âmbito do programa de alimentação escolar. O pedido de dotações para a realização de uma iniciativa desse tipo nos anos fiscais de 2011 a 2015 foi fixado em US $ 10 milhões. O programa de nutrição recebe US $ 16 bilhões anualmente. O Hunger-Free Kids Act daria US $ 4,5 bilhões ao longo de dez anos para a expansão e novos programas.
Durante o debate na comissão, vários membros do Congresso observaram os vínculos orgânicos do projeto-piloto diretamente aos objetivos dos vários programas nacionais, incluindo o programa da primeira-dama Michelle Obama.
"O estado da saúde de nossas crianças é fundamental para o bem-estar futuro da nossa nação, e os alimentos que são distribuídos nas escolas é fundamental para o seu estado de saúde", disse Christine Bushway, Diretora Executiva da OTA.
A própria OTA reconhece a contribuição que os alimentos orgânicos podem fazer para as crianças nas escolas dos E.U.A pois tem em curso um programa chamado "Organic. It's Worth It In Schools", iniciativa que visa incentivar as escolas a dar mais acesso a comida orgânica. Nesta campanha em curso, professores, pais, alunos, educadores e outros são incentivados a votar a favor da sua escola ter uma horta orgânica ou uma máquina totalmente abastecida com opções de venda de alimentos orgânicos ou se inscrever para receber um boletim eletrônico com dicas orgânicas, receitas, notícias e muito mais. Ao longo da iniciativa, que termina dia 1 de maio a OTA também está oferecendo mini-campanhas em que as escolas podem ganhar outras ofertas orgânicas em concursos semanais.
A OTA também planeja continuar informando o Congresso sobre o valor deste projeto-piloto, e o Hunger-Free Kids Act de 2010 caminha para sua aprovação final.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

domingo, 28 de março de 2010

A agricultura orgânica está crescendo em Taiwan


Nos últimos anos a escolha por alimentos orgânicos tornou-se mais do que apenas uma moda passageira em Hong Kong, segundo as últimas estatísticas da Agência de Agricultura e de Alimentas.
As terras dedicadas aos alimentos orgânicos no país asiático têm crescido significativamente, em 2001 as terra que realizavam a agricultura orgânica era composta por 898 hectares, em comparação com os 3056 hectares deste mês, houve um aumento de 3,4 vezes mais do que nove anos atrás.
Os legumes tiveram o mais rápido crescimento nos últimos nove anos, com 5,5 vezes mais terras sendo usadas agora. Em 2001, os vegetais orgânicos eram de apenas 171, hectares neste mês perfizeram um total de 944 hectares.
O diretor-geral da Agência de Agricultura e de Alimentos, Chiang Ching-Tsai, disse que os consumidores começaram a consumir produtos agrícolas orgânicos e que esta tendência de consumo tem influenciado as práticas agrícolas.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

sábado, 27 de março de 2010

Setor orgânico do grupo empresarial alemão "Rewe" cresce apesar da crise


A linha de orgânicos "Ja! Natürlich" do grupo alemão Rewe registrou um crescente volume de negócios em 2009. Apesar de ter ainda uma gama limitada, as vendas de produtos orgânicos melhoraram em 2% com um volume de negócios de 271 milhões de euros.
Em 2010 o grupo, que inclui as cadeias Austrian Billa, Penny e Adeg Merkur, pretende continuar a crescer no segmento de orgânicos, em particular graças ao aumento da gama de produtos orgânicos na cadeia de supermercados ADEG, recentemente adquirida pelo grupo, e com a maior variedade de produtos orgânicos para a jardinagem.
Até 2007 a marca teve um crescimento de dois dígitos, caiu para 6% em 2008 e voltou a diminuir em 2009 para 2%, um nível ainda aceitável em vista da crise. A variedade orgânica do grupo Rewe, segundo projeções terá um crescimento esperado dos atuais 6% para 30% em 2012.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

sexta-feira, 26 de março de 2010

AAOCH - 5.000 hectares de produção orgânica no Chile


A Associação de Agricultura Orgânica do Chile - AAOCH é uma associação no setor produtivo,interessados no progresso da agricultura orgânica do Chile e sua promoção no exterior. Esta associação foi fundada em 1999 e tem mais de 100 membros, principalmente do Chile. Os parceiros incluem produtores e comerciantes de vinho, maçãs, uvas, kiwi, abacate, azeite de oliva, ervas medicinais e outras culturas, como hortaliças para os mercados doméstico e internacional.
A associação tem excedido os 5.000 hectares de cultivos e representa mais de 50% da área certificada no Chile. Da produção total, as vendas estimadas para a exportação são de cerca de 50 milhões de dólares por ano, principalmente para os E.U.A e a União Européia. Seus membros são certificadas pela norma chilena DS 17, NOP, JAS 834/2007 e da União Européia.
Com grandes expectativas a AAOCH, vê a oportunidade de futuro para aumentar a produção e crescer com uma gama bastante grande de produtos.

Tradução e Pesquisa:Bioplastic News

quinta-feira, 25 de março de 2010

Suíça, mercado de orgânicos sobe


O mercado suíço de produtos orgânicos cresceu 7 por cento em 2009 para mais de 1 bilhão de euros. De acordo com o Bio Suisse,em parte pelo grande número de agricultores que foram instados à mudança do tradicional para a produção agrícola orgânica, uma vez que o número de fazendas orgânicas diminuiu ligeiramente nos últimos tempos.
O mercado na Suíça possui "grande potencial". Os produtos orgânicos, principalmente peixe e carne, cresceram sensivelmente em popularidade no ano passado. As vendas totais de produtos orgânicos aumentaram mais de 51 por cento em 2009, informou a Bio durante sua recente reunião anual em Berna.
Regina Fuhrer, presidente da Bio Suisse, disse que cerca de 11 por cento de todas as fazendas na Suíça, ou 5900 operações são orgânicas. Que é 0,8 por cento menos do que no ano anterior. Essas fazendas usam cerca de 120.000 hectares de terras em conjunto, que é 0,3 menos do que em 2008.
Os agricultores continuam relutantes em mudar para a produção orgânica. Uma pesquisa feita pela Bio Suisse e o Instituto Agroscope constatou que os motivos são em grande parte financeiros.
A Bio Suisse quer que o governo incentive uma mudança através do aumento dos pagamentos diretos. Os agricultores orgânicos receberam subsídios no valor de 28 milhões de francos suiços (19.600.000 €) em 2009 e 2,5 bilhões de francos suiços (1,75 milhões de euros) nesse ano.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

quarta-feira, 24 de março de 2010

Em abril de 2010 será criada a associação internacional de certificação de cosméticos orgânicos

O European cosmetics standards working group está em processo de criação de uma organização sem fins lucrativos que será chamada de Cosmos-standard international association. A associação compromete-se na implementação de um processo de alta qualidade em certificação, harmonizados com um serviço de inspeção por parte dos seus membros.A Certificação de inspeção será oferecida aos membros da associação através de um logo que será formalizará em um estatuto legal. Este será apresentado em pronunciamento no Belgian Royal Decree em abril de 2010. Entretanto, os fundadores da associação ainda estão harmonizando os documentos de certificação e procedimentos para controle.

terça-feira, 23 de março de 2010

Ministério da Agricultura Espanhol elabora projeto para a promoção da agricultura orgânica


O ministério da Agricultura espanhol (MARM) vai financiar com 390.000 euros um projeto inter-territorial denominado "Cooperação agro-ecológica como um instrumento para gerar emprego e para a revitalização do consumo", apresentado pelo CEDER Grupo de Alicante.O financiamento será concedida através da Direção-Geral de Desenvolvimento Sustentável dos Territórios Rurais.
O objetivo do projeto é promover o desenvolvimento da agricultura orgânica e do consumo e comercialização destes produtos, bem como melhorar a colaboração com instituições e da gestão dos fundos da indústria.
O projeto, que será realizada nas regiões de Castilla-La Mancha e Valencia, destina-se igualmente a promover a concentração da oferta e organizar a distribuição. Além disso, pretende garantir o abastecimento de produtos agrícolas em todo o ano, enfatizando o papel dessas culturas para a recuperação de muitas áreas rurais.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

segunda-feira, 22 de março de 2010

Empresa australiana de certificação de orgânicos recebe prêmio nacional


O Australian Certified Organic (ACO), empresa subsidiária da Associação de Agricultores orgânicos da Austrália (BFA), foi homenageada por uma outra organização nacional australiana.A Revista Consumer Choice watchdog que concedeu o prêmio de “Melhor Programa de Alimentos da Austrália”.A Nomeação para o prêmio foi determinada pela escolha realizada por um painel de especialistas com base em critérios rigorosos. A ACO foi julgada em matéria de transparência, simpatia dos consumidores, ausência de conflitos de interesse, engajamento das partes interessadas, participação eqüitativa e a verificação de etiquetas.
Doug Haas, presidente do Conselho de Administração da BFA, disse que a concessão bem escolhida foi uma honra concedida aos produtores e operadores que fizeram o compromisso com a ética orgânica. "Em seus primórdios, a agricultura orgânica foi considerada como um problema em decorrência da necessidade do aumento na quantidade de terras para a agricultura. No entanto, seus benefícios óbvios para a saúde da comunidade, o ambiente e a economia têm levado o nível cada vez maior da demanda. Nós sabemos por meio de pesquisas que seis em cada dez famílias australianas compram produtos orgânicos, pelo menos ocasionalmente, e que a certificação da ACO tem quase o dobro do reconhecimento de qualquer outro certificadora de produtos orgânico nos mercado.”


domingo, 21 de março de 2010

O Ministério da Agricultura dos E.U.A exige testes de vestigios de pesticidas em produtos orgânicos


O Ministério da Agricultura dos E.U.A nesta sexta-feira começou a impor regras que exigem o teste de vestígios de pesticidas no local de produção de alimentos cultivados organicamente, depois de uma auditoria expor as principais falhas da fiscalização federal na indústria de alimentos orgânicos.
Os Testes são exigidos por uma lei de 1990 que estabeleceu a base para padrões orgânicos nacionais, mas em um relatório divulgado na quinta-feira pelo gabinete de Phyllis K. Fong, inspetor-geral da agricultura, os pesquisadores afirmaram que não estavam sendo efetuados testes regulares.
O relatório apontou várias falhas no National Organic Program, do departamento de agricultura, que regula a indústria, incluindo a supervisão de algumas operações nos orgânicos no exterior e uma falta de urgência em reprimir comerciantes que vendem falsos produtos orgânicos.
A auditoria não identificou os produtores e processadores que comercializa produtos orgânicos ou falsamente etiquetados. O chefe do Programa Orgânico Nacional, Miles McEvoy, disse na sexta-feira que as regras de execução dos testes foram um dos vários passos que a agência estava tomando para melhorar a fiscalização do setor. Também exigirá inspeções sem aviso prévio dos produtores e processadores de orgânicos e começou a revisões periódicas de produtos orgânicos nas lojas para se certificar que estão rotuladas corretamente e cumprindo os regulamentos federais, afirmou.
"Há um verdadeiro compromisso desta administração para melhorar a integridade deste programa", disse o Sr. McEvoy.
Os testes de resíduos de pesticidas estão previstos para começar em setembro. Será feito pela rede de agentes independentes de certificação que já estão credenciados pelo Departamento para inspecionar e certificar os produtores orgânicos, os transformadores e os alimentadores.
A partir de julho do ano passado, 98 agentes independentes foram autorizados a inspecionar e certificar cerca de 28.000 operações em todo o mundo orgânico, concluiu o relatório do inspetor-geral.
Sr. McEvoy disse que os detalhes das inspeções de pesticidas ainda estavam sendo trabalhados, mas que, provavelmente, focam os produtores cujo risco de contaminação por pesticidas pode ser maior, como aqueles cujos campos orgânicos são cultivados próximos aos campos não-orgânicos ou aqueles que combinam orgânicos e culturas convencionais.
Algumas certificadoras já fazem testes no local, disse ele, mas muitos não o fazem, apenas testando se suspeitar de um problema. O relatório do inspetor-geral afirma que foi realizada uma revisão nas quatro grandes certificadoras, que eram coletivamente responsáveis pela inspeção de quase um terço das operações de orgânicos em todo o país, e foi constatado que nenhum fez testes regulares no local.
O orçamento do programa de orgânicos aumentou para US $ 6,9 milhões para o atual ano fiscal, de $ 3.9 milhões no ano anterior, o Sr. McEvoy afirmou ainda, que sua equipe será quase dobrada, de 16 passará para 31. A administração Obama pretende aumentar o orçamento de US $ 10 milhões no próximo ano fiscal e permitir a expansão do programa para cerca de 40 funcionários.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

sábado, 20 de março de 2010

Graças aos subsídios do Estado, quase dobrou o setor da agricultura orgânica Checa de 2006 a 2008

Graças aos subsídios do Estado, quase dobrou o setor da agricultura orgânica Checa de 2006 a 2008,. Em 2009 cresceu quase 50%, para um total de 2.689 fazendas orgânicas, o que representa hoje 9,4% da área agrícola total do país. De acordo com o industry research organization Bioinstitut, fazendas orgânicas agora cobrem quase 400.000 hectares de terras Tchecas. O sucesso de acordo com todos no país aconteceu em decorrência das melhorias em todas as frentes, incluindo o processamento de produtos, pesquisa, serviços de consultoria e educação do agricultor - apesar do fato de que um plano de ação de 2004 foi destinado para expandir o setor orgânico em 10% da agricultura global em 2010 (em comparação com o registrado de 9,4%). A República Checa é o sétimo maior produtor de alimentos orgânicos na Europa, numa lista liderada por Espanha e Itália, e é considerado o país na vanguarda da cultura orgânica, desde a sua primeira fazenda orgânica estabelecida em 1980.
Jean-François Hulot, chefe da unidade da Comissão Européia sobre a agricultura orgânica, disse ao jornal The Prague Post: "A República Checa tem desenvolvido muito bem. Ao contrário de alguns dos Estados-Membros da UE, a República Checa já tinha estabelecido um padrão para a agricultura orgânica, bem antes dos que aderiram em 2004. Portanto, os regulamentos tiveram uma transição fácil, porque a política checa já era semelhante ao da UE”, disse Hulot.
Segundo o Bioinstitut, a principal razão para o aumento no setor de orgânicos é o aumento de subsídios estatais, que quase duplicou entre 2006 e 2008, de 322 milhões de Kč por ano (12,7 milhões de euros) para Kč 600 milhões estimados por ano (quase 24 milhões de euros), segundo o Ministério da Agricultura.
Junto com os agricultores orgânicos, o processamento de alimentos orgânicos também cresceu substancialmente em 2009, dando um salto de 22 por cento, aumentando para 501 o total de produtores de produtos orgânicos e o setor não mostra sinais de desaceleração em 2010.

Oferecer em supermercados

A maioria dos supermercados, em Praga, que oferecem produtos orgânicos. Possuem uma boa seleção de frutas orgânicas, legumes, produtos lácteos de vaca e de cabra, os clientes podem ir ainda para os mercados de especialidades. Nos últimos anos, cooperados orgânicos trazem frutas e legumes orgânicos para diversos pontos em Praga.


sexta-feira, 19 de março de 2010

Fertilizante natural promete mais produtividade e menos danos à saúde

O francês Jean Anthelme Brillat-Savarin, em 1825, disse pela primeira vez a expressão "diga-me o que comes e eu te direi o que és". De lá para cá muita coisa mudou em relação aos alimentos e ao seu modo de produção. A maioria dos brasileiros ainda desconhece a origem dos alimentos, principalmente os “in natura”. Não sabe o tipo de fertilizante ou produto químico utilizados na produção. Sabe-se, contudo, que no Brasil, o manejo inadequado das práticas de cultivo tem provocado a salinização das áreas agrícolas irrigadas, principalmente no semi-árido nordestino. A diminuição de aportes orgânicos nesses solos e aplicações cada vez mais intensas de agroquímicos tem produzido perdas do equilíbrio do ecossistema.
No meio da Chapada dos Guimarães (MT), um dos locais mais bonitos do país, um pequeno empresário está tentando recuperar os solos e desenvolver produtos mais saudáveis. Ele criou um fertilizante bioativo, produzido a partir de um conjunto de rochas cientificamente selecionadas pela riqueza de sua composição mineralógica, trituradas com a finalidade de remineralizar solos que tiveram o seu conteúdo mineral empobrecido. O geólogo e produtor José Carlos Alves Ferreira trabalha com a agricultura, principalmente a orgânica, desde a década de 60. Seu envolvimento no movimento orgânico, em Ribeirão Preto, rendeu-lhe um exílio forçado. O trabalho de mais de 30 anos foi concretizado em 2007 com a criação da RockAll. O projeto foi desenvolvido em parceria com o Sebrae em Mato Grosso.
“Estávamos em uma Feira do Empreendedor quando fizemos contato com a Arca Multi Incubadora. Hoje distribuímos para todo o Mato Grosso e, por meio da internet, para todo o Brasil”, disse Natia Ortega, mulher de José Carlos, que participou da InovaBrasil - Feira Empresarial de Incubadoras e Parques Tecnológicos, em São José dos Campos (SP). As vantagens do fertilizante são inúmeras, diz Natia. Segundo ela, o RockALL aumenta a produtividade e a vida do alimento. Além disso, é mais resistente às pragas. “Comparamos duas abóboras, uma sem e outra com o fertilizante. O resultado foi que a abóbora sem o fertilizante pesou dois quilos e a outra, oito quilos”.
Apropriado para todos os tipos de cultura, desde vasos de flores, canteiros de hortaliças, jardins, paisagismo, condomínios, campos de futebol e de golfe, até grandes plantações de soja, milho, arroz e algodão, o RockAll não causa qualquer dano ao solo, ao meio ambiente, animais ou pessoas, mesmo com aplicações maiores do que as recomendadas. “Não trabalhamos apenas para produtos orgânicos, mas para todo e qualquer tipo de produção agrícola”, informa. Segundo Natia Ortega, atualmente só países onde as pesquisas sobre produtividade da agricultura estão mais avançadas, como Estados Unidos, Japão e Austrália, desenvolvem fertilizantes e corretivos de solo organominerais.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Fetag-PB defende uso de produtos orgânicos para combater praga

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba (Fetag-PB) defende a utilização de produtos orgânicos para o combate a praga da Mosca Negra que vem destruindo as lavouras de vários municípios paraibanos. “Temos que acabar com esse mal, mas também temos que pensar na saúde de nossos trabalhadores e das pessoas de um modo em geral”, disse o presidente da entidade Liberalino Ferreira de Lucena.
O presidente da Fetag, Liberalino Ferreira de Lucena, explicou que enquanto representante dos agricultores e trabalhadores rurais cobrou do Governo do Estado que respeite as alternativas por eles utilizadas para controlar e combater esta praga. “Não somos contra a utilização dos agrotóxicos, mas já temos casos exitosos da aplicação de inseticidas naturais como o Nim ou Amargosa com este fim. É preciso, portanto, deixar a cargo dos agricultores a escolha pela opção que consideram mais adequada”, destacou o presidente.
O assunto foi o tema de um encontro que aconteceu na tarde de quarta-feira (17) na sede da Fetag-PB, em João Pessoa. Durante o evento foram discutidas propostas para uma ação conjunta entre o Governo do Estado e as organizações da sociedade civil para o combate e controle da Mosca Negra na Paraíba.
O evento contou com as presenças do Secretário da Agricultura e Pesca do Estado, Ruy Bezerra, do promotor de Defesa do Meio Ambiente da Comarca de Campina Grande, José Eulâmpio Duarte, além de representantes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário (DFDA), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater-PB) e Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa), as entidades da sociedade civil apresentarão alternativas agroecológicas para o controle e combate da Mosca Negra.
Entre as entidades da sociedade civil que participaram do encontro, estão a Fetag-PB, Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR's) de Lagoa Seca, Lagoa de Roça, Alagoa Nova, Esperança, Remígio, Areia, Matinhas, Campina Grande e Massaranduba, Pólo Sindical da Borborema, Conselho das Associações Rurais e Desenvolvimento Agrário do Município de Esperança (Cardame), Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa (AS-PTA), Território da Cidadania da Borborema, e a Central Única dos Trabalhadores (CUT-PB).
Durante o encontro foram apresentadas as boas práticas agrícolas para combate a praga da Mosca Negra e que já foram monitoradas, testadas e aprovadas por técnicos da Universidade Federal do Campus de Areia e apresentação do Plano de Combate e Controle da Mosca Negra.


quarta-feira, 17 de março de 2010

Alemães visitam produção de orgânicos em São José dos Pinhais

São José dos Pinhais conta com 80 produtores orgânicos.
(Foto: Silvio Ramos/PMSJP)

Estudantes moradores da área rural do oeste da Alemanha estão no Brasil em busca de soluções ecologicamente viáveis e sustentáveis de vida, além da conscientização ambiental.Eles já passaram por vários países e agora estão vindo da região Oeste do estado para conhecer a produção de orgânicos de São José dos Pinhais que é umas das maiores do Paraná que é o estado com o maior número de produtores de orgânicos certificados do país segundo o último Censo Agropecuário.
Os 9 alemães vão conhecer duas propriedades, a primeira está em processo de certificação pelo Tecpar, com custeio da Secretaria Municipal de Agricultura, na propriedade eles serão recebido com almoço com produtos orgânicos. A segunda propriedade a ser visitada é um dos maiores produtores do município, que abastece mercados de toda a região e também de outros estados.


terça-feira, 16 de março de 2010

Canadá estimula a produção de alimentos orgânicos


O governo do Canadá desembolsou cerca de 170.000 dólares canadenses (121.150 euros) para ajudar os produtores de produtos orgânicos e “transformadores”. O objetivo desta medida é fazer com que os produtos orgânicos locais atendam à demanda dos consumidores aumentando tanto a nível nacional como internacional.
O auxílio consiste em 118.000 dólares canadenses (cerca de € 84.100) concedido à National Organic Trade Association, a fim de participar em feiras internacionais, produção de material promocional e desenvolver um plano de longo prazo e estratégia internacional. Por seu turno, a Canadian Organic Growers Association receberá cerca de US $ 50.000 (35.700 euros, aproximadamente) para avaliar e desenvolver um plano com medidas de segurança atuais para satisfazer as necessidades da agricultura orgânica.
Em 2008, o mercado canadense de varejo de produtos orgânicos foi avaliado em cerca de 2.000 milhões de dólares (1.425 milhões de euros), representando 66% de aumento sobre 2006.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

segunda-feira, 15 de março de 2010

Epamig apresenta alternativas ao combate de pragas e doenças



A Epamig, por meio da Unidade Regional Zona da Mata vai apresentar, nos próximos dias 28 e 29 de abril, as mais recentes tecnologias desenvolvidas para controle de pragas e doenças na agricultura orgânica. O IV Workshop Controle Alternativo de Pragas e Doenças será realizado em Viçosa, em parceria com a Universidade Federal de Viçosa (UFV), no auditório do Departamento de Engenharia Florestal. As discussões têm caráter nacional e pretendem enfatizar a divulgação de resultados de pesquisas, cuja eficiência comprovada cientificamente já possui uso prático na produção sustentável de alimentos de qualidade.
A Epamig vem atuando efetivamente para ampliar as pesquisas na área e transferir as novas tecnologias aos produtores rurais e à comunidade científica. “Com o workshop, a intenção é repassar aos profissionais, estudantes e produtores as tecnologias consideradas de pronto uso para o controle de pragas e doenças em sistemas orgânicos de produção, uma vez que as utilizadas atualmente ainda são limitadas”, aponta a coordenadora de Transferência e Difusão de Tecnologia da Epamig Zona da Mata, Madelaine Venzon.O evento vai contar com a participação de conferencistas com experiência em campo, em produção e em legislação de produtos fitossanitários para uso na agricultura orgânica. As inscrições para o IV Workshop Controle Alternativo de Pragas e Doenças já estão abertas e podem ser efetuadas no site www.controlealternativo.com.br, onde consta a programação completa.


domingo, 14 de março de 2010

Para os produtores de grãos orgânicos nos E.U.A os preços estão baixo e o futuro é incerto

Produtor Roy Benjamin

É um grande momento para ser um consumidor de alimentos orgânicos, mas não o melhor momento para ser um produtor, de acordo com Roy Benjamin, que cultiva grãos orgânicos e legumes no leste de Shelby nos E.U.A .
"A disponibilidade de produtos orgânicos no varejo é maior do que nunca", disse ele. "Temos mais espaço de prateleira em uma maior variedade de mantimentos e maior diversidade de produtos".
Mas o preço do trigo orgânico, que atingiu um nível anormalmente elevado de US $ 20 ou mais por alqueire em meados de 2007 a meados de 2008, caiu para US $ 6 a US $ 8 por bushel no início deste ano, disse Benjamin. "Os compradores não estão adquirindo grão por muito mais do que esses preços", disse ele.
Uma oferta excessiva do grão orgânico, no ano passado, juntamente com a demanda reduzida durante a recessão provocou uma grande queda nos preços, disse Benjamin, um membro do state's Organic Commodity Advisory Council dos E.U.A.
"Há grandes excedentes de grãos orgânicos em todo o estado que os agricultores estão segurando, e absolutamente nenhuma demanda por grãos de qualidade inferior de orgânicos", disse ele.
Produtores orgânicos, processadores e mercearias concordam que a demanda por alimentos orgânicos, enquanto continua crescer, poderiam cair abaixo dos dois dígitos, suas taxas de crescimento anual na última década.
Analistas da Indústria orgânica soaram um alarme no ano passado, dizendo: "A economia está começando a lançar uma sombra sobre a vida do brilho verde".
Empresas de pesquisas mostram que o número de americanos que compram regularmente orgânicos, naturais e produtos "verdes" se manteve inalterada em 36 por cento em 2008, após grandes aumentos nos anos anteriores.
"As prioridades das pessoas mudaram por causa de dificuldades econômicas", disse a analista de pesquisas da Mintel Marcia Mogelonsky. "Um número substancial de clientes está agora lutando para oferecer o básico para suas famílias, uma vida tão verde não está mais no topo das mentes de muitos americanos."
Barbara Haumann, porta-voz do Massachusetts-based Organic Trade Association, considera que o abrandamento é temporário. A venda de alimentos orgânicos cresceu 18 a 20 por cento por ano durante a última década, enquanto as vendas globais dos alimentos aumentaram apenas 3 a 4 por cento ao ano, disse ela.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

sexta-feira, 12 de março de 2010

Será lançado em abril relatório definitivo sobre o mercado de orgânicos do Reino Unido

O próximo relatório da Soil Association's Organic Market será lançado na segunda-feira dia12 de abril no Natural & Organic Products Europe, a ter lugar no Olympia, em Londres.Na primeira palestra - O caso do Reino Unido dedicado apenas ao comércio de produtos naturais e orgânicos – o diretor da Soil Association, Peter Melchett, apresentará as tendências de 2009 e explanará sobre a as motivações e atitudes do pós-consumo em uma recessão. Reconhecido como o relatório definitivo sobre o mercado de orgânicos do Reino Unido, a escolha do local de lançamento serve para realçar a estatura crescente dentro do setor orgânico em si.
O diretor de eventos do Natural & Organic Products Europe , Simon Barry, disse: "Este é um documento fundamental e evento de mídia, que estabelece o cenário para a evolução futura do mercado orgânico. Ele cria uma grande oportunidade para os profissionais do setor orgânico ouvir em primeira mão, as idéias mais recentes de mercado, dados e tendências para o próximo ano. "
No total, mais de 500 empresas são esperadas para participar do Natural & Organic Products Europe 2010, incluindo a Câmara de Comércio Orgânico, que trará uma tomada de posição para o primeiro ano desde que se formou como a voz da indústria de orgânicos em julho de 2007. O espetáculo atrai anualmente milhares de compradores profissionais de todo o mundo, mais de 8.000 pessoas caminharam pelos corredores do Olímpia no ano passado.



Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

quinta-feira, 11 de março de 2010

A África pode se beneficiar do enquadramento orgânico, diz FAO

O crescimento da quota de mercado de orgânicos e produtos de comércio justo "em países desenvolvidos (estimada entre 5 e 10 por cento) pode resultar em novas oportunidades para os pequenos agricultores nos países pobres, segundo a FAO. Como esses agricultores precisam cumprir os requisitos de certificação para cumprir com alto nível de padrões alimentares, a Food Agriculture Organization montou um programa de US $ 2,4 milhões para ajudá-los a certificação necessária. Desta forma, cerca de 5.000 agricultores do Oeste Africano são agora capazes de aproveitar a crescente popularidade dos alimentos orgânicos nos países industrializados. Projetos da FAO em Burquina Faso, Camarões, Gana, Senegal e Serra Leoa ajudam grupos de agricultores e pequenos exportadores a superar desafios como o alto custo para a conversão da agricultura convencional para a agricultura orgânica, bem como tirar partido dos mercados remuneradores. Eles aumentaram a sua capacidade técnica e qualidade do produto, o que permitiu que os agricultores orgânicos a obtenção de certificação de comércio justo.
"Alguns grupos de agricultores nunca tinham exportado produtos antes, na melhor das hipóteses eles o ofereciam para o mercado local a um preço baixo. A maioria deles tinha um nível muito baixo de capacidade institucional, capacidade técnica e recursos financeiros", disse o economista da FAO, Pascal Liu. “ A maioria dos grupos têm status legal, reunem-se regularmente, mantêm registros e agora são membros real” que pagam dívidas.
"Como resultado da sua melhor estrutura e organização, grupos de agricultores estão agora em condições de elaborar e negociar contratos com exportadores. Alguns exportadores de abacaxi de Gana e Camarões ainda vêem as suas exportações aumentando, apesar da crise econômica”, disse Cora Dankers, gestora de projetos da FAO.
Um grupo de Camarões, por exemplo, não só encontrou um comprador para seus abacaxis orgânicos, mas graças à análise de custos que fizemos com eles, eles também foram capazes de negociar melhores condições com o seu comprador convencional. Em Gana, cerca de 30 pequenos produtores de abacaxi conseguiu aumentar suas vendas de 26 para 116 toneladas, depois de terem obtido a certificação orgânica.
O projeto centrou-se em todas as fases da cadeia de produção, colheita e embalagem, certificação e comercialização. A parte vital do projeto era para pagar a certificação no período de conversão e apoiar a melhoria das condições de higiene para cumprir elevados padrões de qualidade internacional.
"O projeto ajudou os agricultores locais que, normalmente esperam uma ajuda financeira direta das instituições a adotar uma atitude mais pro ativa. Sua situação econômica e auto-estima melhoraram definitivamente, porque agora podem vender seus produtos nos mercados internacionais a preços muito melhor - algo que não poderia até mesmo sonhar a apenas três anos atrás ", concluiu Liu.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

quarta-feira, 10 de março de 2010

Novo azeite extra virgem orgânico da Shelby Foods está disponivel para venda nos E.U.A

O azeite extra-virgem orgânico da Shelby Foods, fundada por Carroll Shelby, presidente da Carroll Shelby International Inc., está agora disponível em lojas de varejo selecionadas nos E.U.A. e através da IDEA Foods, Inc. Uma parcela das vendas do azeite irá beneficiar a caridade.
"O nosso azeite orgânico tem um sabor maravilhoso que é superior a qualquer outra coisa mais no mercado", disse Shelby. "E o benefício do seu uso tradicional em vez de manteiga ou margarina torna-o favorito para as pessoas que querem levar uma vida inteligente e saudável".
A Divisão Campbell Supply Company Inc., IDEA Foods Inc. é a empresa de distribuição exclusiva Oliovita, Extra Virgin Olive Oil na América do Norte.A IDEA Foods está trabalhando com várias cadeias alimentares importantes para vender o azeite incluindo a Supervalu (Acme), Stop and Shop, Giant Landover, Carlisle Giant, Tops, Bilo e Distribuição DP. "Nós estávamos ansiosos pela chegada da primeira remessa, nos Estados Unidos para que assim as entregas podessem começar", acrescentou Bob Campbell, presidente e fundador da IDEA Foods. “O interesse pelo nosso azeite extra-virgem tem sido forte dentre os varejistas e os consumidores, por isso temos o prazer de começar a atender essa demanda”.
A Oliovita da Argentina faz a assinatura da linha de azeite de oliva extra virgem premiado da Shelby. Para fazer o azeite, as azeitonas são escolhidas a dedo e trituradas no auge da maturação. Isso limita o fornecimento e tem como resultados um azeite extra-virgem que é leve, saboroso e superior em todos os sentidos.
Embora reconhecido pela maioria pelo seu sucesso no automobilismo, com carros Shelby Cobra, Shelby GT350 e GT500, Carroll Shelby esta envolvido na indústria de alimentos por muitos anos. Ele criou a "Carroll Shelby Chili mix", que agora é propriedade da O'Reilly alimentos e não mais associado com o Sr. Shelby.
As Instituições de Caridade beneficiadas com uma parcela das vendas da Shelby Foods incluem Carroll Shelby Foundation (www.carrollshelbyfoundation.org) que apóia crianças com problemas médicos, bem como seleciona programas educativos.


Pesquisa e Tradução:Mundo Orgânico

terça-feira, 9 de março de 2010

A área cultivada com produtos orgânicos aumentou 21% na União Européia entre 2005 e 2008


Dados recentes do Eurostat (Escritório de Estatística da União Européia) revelam que a agricultura orgânica aumentou 7,8 milhões de hectares em 2008, um aumento de 7% em comparação com 2007. Durante um período de tempo maior, os dados disponíveis para mostram um aumento de 21% na área total orgânico entre 2005 e 2008.
Em 2008, os cinco Paises com maior área orgânica foram a Espanha (1,3 milhões ha), Itália (1,0 milhões ha), Alemanha (0,9 milhões ha), o Reino Unido (0,7 milhões ha) e França (0,6 milhões ha), segundo o Eurostat.
Em 2007, a área total de orgânicos representaram 4,1% da área agrícola total. As maiores proporções de área orgânica foram registrados na Áustria (15,7% do total da área agrícola), Suécia (9,9%) e Itália (8,9%).
Entre 2007 e 2008, a área total de orgânicos aumentou em todos os Estados-Membros para os quais existem dados disponíveis, com exceção da Itália, onde o cultivo orgânico diminuiu 13%. Os maiores aumentos foram registrados na Espanha (33%), Bulgária (22%), Eslováquia (19%), Hungria (15%) e Grécia (14%). Para o período de tempo mais longo entre 2005 e 2008, os maiores aumentos foram observadas na Polônia (+94%), Lituânia (89%), Espanha (63%) e Bélgica (+57%). A diminuição foi registrada apenas na Itália (-6%) e Hungria (-5%).
Em 2008, os três principais usos de terra orgânica eram prados e pastagens (44% da área total convertida em orgânica, excluindo a Alemanha), Cereais (37%) e culturas permanentes (10%). Os 9% restantes das terras estão em pousio e não utilizadas.
Em 2008, a cultura mais importante arável era a de cereais (de 44% da área total convertido orgânico às culturas arvenses), seguido de forragem verde (42%), outras como leguminosas secas, batata, beterraba, sementes e mudas (7%), hortaliças e plantas para a indústria (ambos 4%).
Os cereais foram particularmente importantes na Lituânia (79% da área), Portugal (75%) e Irlanda (73%), enquanto as maiores proporções de forragens verdes foram encontradas na Letônia (67%), Estónia (66%) e Suécia (58%).



Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

segunda-feira, 8 de março de 2010

Cresce o interesse do Japão em produtos orgânicos italianos


A Itália aposta em seus produtos orgânicos na Foodex, o evento sobre alimentos mais importante na Ásia, que está ocorrendo nestes dias em Tóquio. Cerca de 200 expositores - trinta especializados em produtos orgânicos - estão presentes nos estandes: um sinal de atenção para o mercado italiano de produtos sustentáveis por parte dos consumidores do leste.
O Presunto cru italiano tem uma quota de mercado internacional de 67,7%, o azeite de oliva 55,9%, 53% macarrão, tomate seco 86,7%, segundo dados divulgados pela ANSA. No que diz respeito ao vinho e queijo, a Itália ocupa, respectivamente, segundo lugar, após a França, o quarto, depois da Austrália, Nova Zelândia e França.
Quanto aos produtos orgânicos, o valor acrescentado da certificação para o alimento italiano garante uma boa chance para penetrar no mercado japonês. No Japão, "apenas 0,19% da área cultivada está vinculado a métodos orgânicos”, disse Federico Balmas, chefe Italiano da Tokyo Trade Commission –“ a composição demográfica, com a alta proporção de pessoas idosas, faz com que a demanda por esse tipo de produto seja muito favorável”.
Em um levantamento realizado pelo italian Trade Commission, 88% dos entrevistados japoneses elegeram a frescura e segurança alimentar como fatores para consumir alimentos orgânicos, embora reconheçam o obstáculo representado pelo fator preço”. Este problema, entretanto, pode ser resolvido, reunindo as atividades subsidiárias e trabalhando na distribuição, como explica Natale Marcomini das Associações italianas de produtos orgânicos Prober e Federbio. "Apenas um segmento capaz de se mover de forma organizada, pode ser realmente competitivo", sublinhou.

Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

domingo, 7 de março de 2010

Favorita para o Oscar 2010 Sandra Bullock se prepara para sua grande noite, comprando alimentos orgânicos


Entrando no mundo do cinema e seguindo as notícias dos últimos dias, existe uma pergunta que não quer calar. Será que Sandra Bullock neste fim de semana será eleita a melhor atriz no Oscar de 2010?Bullock ganhou um Globo de Ouro no mês passado e está esperando para aumentar o seu sucesso com um Oscar no domingo com o filme The Blind Side.
Cotada como favorita ao Oscar, aos 45 anos, Sandra Bullock está claramente com boa saúde e na quarta-feira a atriz demonstrou da onde vem a sua saúde e boa forma, ela foi flagrada comprando em uma loja de produtos orgânicos chamada Whole Foods, em Seal Beach, Orange County, Califórnia.
Seu carrinho estava carregado com sacos estampadas com a frase "a saúde começa aqui" e ela também tinha uma embalagem de papel higiênico 100% reciclado, que será útil se ela chorar ao fazer um discurso de aceitação do Oscar.
Bullock - que nunca ganhou um Oscar até hoje - enfrenta a concorrência de nomes fortes como Meryl Streep (Julia e Julia), segunda favorita, com chances de 7 / 4, seguido pelo britânico esperançoso Carey Mulligan, com uma cotação de 9 / 1.


sábado, 6 de março de 2010

Agropalma aposta no exterior


Maior produtor de óleo de palma da América Latina, o Grupo Agropalma vê no mercado externo maior potencial do que no interno para produtos orgânicos. Isso porque, embora a preocupação com a saúde e a alimentação esteja disseminada em todos os cantos do mundo, ainda há predominância de algumas multinacionais quando o assunto é ampliar a linha de produtos naturais, nas quais se destacam os alimentos orgânicos. Ou seja, o interesse das empresas lá de fora ainda é bem maior do que as daqui quando se fala em orgânicos.
"No ano passado, nosso principal mercado para esses produtos, que são os Estados Unidos, com toda a crise que sofreu conseguiu apresentar um leve crescimento, o que é bastante positivo", afirma André Gasparini, gerente de exportação do Grupo Agropalma.
A linha de orgânicos da empresa tem como destaque a gordura de palma refinada orgânica com o Selo EcoSocial, que começou a ser exportada em 2009. Além dela, exporta também estearina de palma orgânica refinada, oleína de palma orgânica e super oleína de palma orgânica. São matérias-primas muito utilizadas na indústria alimentícia para dar estrutura em produtos como biscoitos, margarinas, confeitos e também para frituras.

sexta-feira, 5 de março de 2010

Copercana participa pela primeira vez da feira de produtos orgânicos Biofach


A Copercana, cooperativa de 78 produtores de cana do interior do Paraná e associada ao Projeto Organics Brasil, participou pela primeira vez da Biofach, maior feira internacional de produtos orgânicos que foi realizada em Nuremberg (Alemanha) em fevereiro. A Copercana produz a cachaça Sagres (amarela e branca) e álcool etílico. O representante da empresa, Marcelo de Felício, avalia a participação na feira de forma positiva: “É apenas o início das conversas, que será amadurecida com o passar do tempo. Já estabelecemos contatos bem interessantes com possíveis clientes”.
A empresa prevê um intenso trabalho de conscientização de seus compradores internacionais, pois o mercado internacional confunde a cachaça com o rum ou água ardente. “É necessário fazer um trabalho de diferenciação dos produtos. A cachaça é um produto muito específico, com grandes chances de expansão entre os países da Europa. Apesar de não existir um setor específico para bebidas, o subproduto álcool etílico produzido pela Copercana despertou grande interesse durante a feira e é promessa de grandes negócios”, explica Marcelo de Felício. O Projeto Organics Brasil participou da Biofach com 8 empresas e da Vivaness com 3 empresas, contabilizando US$ 6,2 milhões em negócios de exportação com 25 países.


quinta-feira, 4 de março de 2010

Presídio feminino do Sertão incentiva agricultura orgânica


Com o objetivo de incrementar a produção de frutas, verduras e legumes orgânicos, cujo cultivo dispensa o uso de agrotóxicos, detentas da Colônia Penal Feminina de Buíque, no Sertão do Estado, estão desenvolvendo um projeto ambiental na unidade carcerária. Trata-se da horta orgânica, que já garante a oferta de alimentos para consumo próprio da unidade prisional.
A gerente da Colônia Penal, Andréa Silva, informa que a ação, além de garantir a produção de alimentos saudáveis, promove a consciência ambiental, “uma vez que as reeducandas -, a maioria delas vem de sítios das redondezas - colocam literalmente as mãos na terra e têm a oportunidade de interagir com o meio ambiente”.
Humberto Vianna, secretário executivo de Ressocialização, ressaltou a importância desse trabalho sócioeducativo desenvolvido pela direção da unidade. “Trata-se de uma ação fundamental para o processo de recuperação das apenadas. A iniciativa faz com que elas aprendam a desenvolver habilidades que poderão servir como meio de sobrevivência ao sair do presídio”.
Na horta da Colônia Penal Feminina de Buíque são cultivados os mais variados tipos de legumes e verduras. Há também uma área reservada para o plantio de pimentas de cheiro, como a “Dedo de moça”, e frutas, como o mamão e a melancia.
Características - A agricultura orgânica é um sistema de produção de alimentos que exclui o uso de fertilizantes, agrotóxicos e produtos reguladores de crescimento. A atividade tem como base o uso de estercos animais, adubação verde, compostagem e controle biológico de pragas e doenças. A agricultura orgânica está diretamente relacionada ao desenvolvimento sustentável, ou seja, a sua prática não compromete o meio ambiente.


quarta-feira, 3 de março de 2010

A agricultura orgânica na União Européia cresceu 7 por cento em 2008


A área de terra dedicada à agricultura orgânica na União Européia aumentou 7 por cento em 2008 em comparação com o ano anterior,passou para 7,8 milhões de hectares (19,27 milhões de acres), anunciou a agência de estatísticas da UE na segunda-feira.
O aumento em 2008 confirmou a tendência que vinha ocorrendo em terras européias onde o cultivo orgânico cresceu 21 por cento entre 2005 e 2008, afirmou o Eurostat. Em 2007, houve um aumento de 4,1 por cento da área total dos 27 países do bloco europeu, acrescentou a agência.
É esperado que o crescimento das áreas de cultivo orgânico da UE continue para além de 2008 - o ano mais recente coberto pelos dados oficiais da UE.
"Esperamos que a tendência do aumento das terras com cultivo orgânico continue crescendo, impulsionado por um crescimento considerável no sul e centro da Europa Oriental," afirmou Amarjit Sahota, diretor de pesquisas de uma consultoria que monitora o mercado de produtos orgânicos com escritório em Londres.
A produção orgânica na UE tem aumentado nos últimos anos, mas a demanda reduzida nos últimos 18 meses atingiu as receitas em alguns países, afirmou Sahota .
"As receitas na Grã-Bretanha e Alemanha estagnaram ou diminuíram ligeiramente, mas em países como a Suécia e Dinamarca têm crescido de 5 a 15 por cento", disse Sahota. "As economias da UE sairão da recessão, esperamos que esse padrão de crescimento continue se repetindo."
Por país, a Espanha teve a maior área cultivada com orgânicos em 2008 com 1,3 milhões de hectares, seguido pela Itália com 1 milhão de hectares, Alemanha, com 908.000 hectares, Grã-Bretanha com 726.000 hectares, e a França, com 584.000 hectares.
Do total de terras da UE cultiva de forma orgânica em 2008, 44 por cento fomos utilizadas para pastagem, 37 por cento para as culturas arvenses e 10 por cento para as culturas permanentes, tais como frutas e azeitonas. Os cereais foram responsáveis por 44 por cento da superfície semeada de forma orgânica para as culturas arvenses.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

terça-feira, 2 de março de 2010

Biofach 2010, a atração pelos produtos orgânicos não teve declínio

Os números oficiais da Biofach, a principal exposição do mundo da indústria de orgânicos, confirmou a grande atração deste evento, que foi, os empreendedores orgânicos de toda a Europa. Embora tenha tido um declínio em relação a 2009 no número de visitas, cerca de 43.500 pessoas ligadas ao comércio visitaram o centro de exposições em Nuremberg dos dia 17 à 20 de Fevereiro , enquanto que a BioFach e Vivaness teve 46,771 visitante em 2009.A percentagem de visitantes internacionais foi de 38% novamente e os compradores vieram de 121 países, principalmente da Alemanha, Áustria, França, Itália, Holanda, Polônia e Suíça.
Os 2.557 expositores (2009: 2.733), dois terços deles internacionais, ficaram muito satisfeito, tendo em conta a elevada qualidade dos visitantes.Cerca de 85% dos expositores da BioFach e até 97% dos expositores da Vivaness esperam um bom acompanhamento dos negócios, de acordo com os resultados de uma pesquisa realizada por um instituto independente. Estes valores estão acima de 12 e 16 pontos percentuais, respectivamente, em relação ao ano anterior - a prova clara de uma visão otimista do futuro.
"O mercado de orgânicos tem desafiado a crise. Os últimos quatro dias da feira mostrou que o setor manteve o seu ímpeto. A tendência ao consumo de orgânicos e ecologicamente sustentável é ininterrupto. Períodos de crescimento mais lento oferecem uma oportunidade para fazer um balanço e elaboração conjunta de conceitos para o futuro, que proporcionam as melhores condições para o desenvolvimento sustentável do mercado e as suas contas anuais. Nós estávamos particularmente satisfeitos com a Feira que atraiu a atenção da mídia pelo tema Organic + Fair ,o tema do Ano em 2010 ", diz Claus Rättich, membro do Conselho de Administração da NürnbergMesse.
"Organic + Fair" foi o tema principal desta edição do ano da Biofach, como uma evidência de que os clientes cada vez mais tem o foco sobre a qualidade do seu consumo e valores. A base para isso é o produto orgânico , a produção justo e as condições de negociação são outros aspectos vitais. A dupla exposição BioFach e Vivaness foi orientada para a Feira Orgânica + em 2010. 52 expositores e cerca de 100 apresentações de produtos refletem toda a variedade do tema do ano.
Quase 8.000 participantes assistiram a 180 eventos no Congresso da BioFach e os seis fóruns especiais para trocar opiniões sobre o mercado, com especial ênfase na equidade e na sustentabilidade.
Equidade e sustentabilidade também foram questões-chave na Vivaness: "Os visitantes perguntaram especificamente sobre o valor agregado dos nossos produtos neste ano. O comércio justo e sustentabilidade das matérias-primas e embalagens são valores muito decisivos, hoje, "diz o Dr. Alexandra Vogel, diretora de Relações Públicas, da Naturkosmetik Manufaktur de Berlim. 183 fabricantes de 21 países apresentaram seus produtos a Vivaness deste ano, a plataforma internacional para o cuidado pessoal natural e o bem estar. A Alemanha, com 88 fabricantes , seguido por França (29), Itália (16), Grã-Bretanha (12) e Áustria (8).


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

segunda-feira, 1 de março de 2010

Avicultura e derivados da cana impulsionam exportações da PB


Os setores de avicultura, cachaça e fruticultura deverão impulsionar as exportações do agronegócio paraibano nos próximos anos. Segundo Hermes Ferreira, superintendente da Secretária Federal da Agricultura na Paraíba, o segmento exportou, em 2008, US$ 131,62 milhões, o que representou 0,18% das exportações brasileiras. O tema foi abordado nesta sexta-feira (26), durante a 14ª Agroint – curso de integração para exportação, em João Pessoa.De acordo com Hermes Ferreira, a tendência é de que as exportações aumentem. Os investimentos na avicultura deverão ampliar as vendas do setor para o mercado da Arábia Saudita ainda este ano. No segmento de cachaça há empresas aptas e com potencial para a exportação.
No Sertão e Litoral do estado, empresas deverão manter as vendas para o mercado exterior com o foco em frutas orgânicas.Em 2008, frutas como o mamão e o maracujá, cultivados de forma convencional, e o queijo, o mel, a manga e o melão orgânicos foram os produtos responsáveis pelas exportações no estado. Segundo Adilson Oliveira Farias, assessor da Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a Paraíba tem um importante potencial para orgânicos.
De acordo com Adilson o Estado possui também potencial exportador, e não são os aspectos burocráticos que impedem as exportações, mas a falta de trabalho em grupo, pois o mercado exige volumes consideráveis e regularidade na entrega.Para ele, a estratégia de desenvolvimento da Paraíba também deve ser pautada em produtos agrícolas que agreguem valor, a exemplo dos orgânicos e da prática do comércio justo. “Estes produtos exigem mão de obra e levam desenvolvimento para o campo”, reforça.Segundo Mario Borba, presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PB, a perspectiva com o Agroint foi de demonstrar que os pequenos negócios rurais também podem ter acesso ao mercado internacional, desde que devidamente preparados.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...