sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Curso sobre Produtos Orgânicos já produz resultados em Juquiá

O curso, iniciado a seis meses, não visa somente preparar os agricultores para uma produção de qualidade, sem agrotóxico e, sim prepará-lo para a venda do produto final, que é um assunto complexo e difícil de ser equacionado, mas é o ponto crucial da atividade e onde o produtor pode ter uma maior rentabilidade.
Atualmente, o segmento orgânico representa um mercado crescente e os produtores estão cada vez mais se profissionalizando. Vários fatores levam algumas pessoas a consumir estes produtos – por exemplo, a preocupação com a própria saúde. Hoje, os orgânicos podem valer até 30% mais do que os produtos comuns. Pesquisas comprovam que sete entre dez entrevistados consumiriam produtos orgânicos, se houvesse boa oferta nos supermercados. E mais da metade também aceitariam pagar até 20% mais caro pelo produto orgânico.
Em março de 2010 teve início em Juquiá de um curso dentro do Programa de Olericultura Orgânica, promovido pelo Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e o Sindicato Rural em parceria com o Departamento de Agricultura, Abastecimento e Turismo da Prefeitura Municipal. O programa é dividido em módulos, com previsão de termino no mês de novembro. Com aulas práticas e teóricas sobre diversos assuntos que vão desde a escolha do local, o preparo de solo, coleta de solo para análise em laboratório, semeadura de espécies para adubação verde, manejo e controle de pragas e doenças, até a comercialização.
O Instrutor do programa, Mario Terashima, afirma que a intenção do curso não é somente preparar o produtor para uma produção de qualidade, sem agrotóxico e, sim prepará-lo para a venda do produto final, que é um assunto complexo e difícil de ser equacionado, mas é o ponto crucial da atividade e onde o produtor pode ter uma maior rentabilidade. O diferencial deste programa é a parceria com o Departamento que disponibiliza durante a realização um técnico para auxiliar os produtores durante e após o curso. A olericultura é o ramo da horticultura que abrange a exploração de um grande número de espécies de plantas, comumente conhecidas como hortaliças, e que engloba culturas folhosas, raízes, bulbos, tubérculos e frutos diversos.
O diretor do departamento de agricultura, abastecimento e turismo de Juquiá, Ilso Luis dos Santos diz que a iniciativa está contribuindo para diversificação da produção de hortifrutigranjeiros e para abrir novos mercados para os produtores do município. “Quando assumi o departamento, em outubro de 2009, fui ao Sindicato Rural para firmar a parceria e o comprometimento com a realização dos cursos e programas promovidos pelo Senar. Essa sempre minha preocupação com o pós curso, pois no término das capacitações, os programas e os produtores ficavam “órfãos”. Com essa parceria disponibilizamos o técnico para acompanhar o grupo nos programas, o que conseqüentemente cria uma afinidade entre técnico e produtor. Aliado a esta parceria temos a Apafarga e Coopafarga duas organizações representando a nossa agricultura familiar, ansiosa e de portas aberta para operacionalizar acomercialização de produtos orgânicos junto aos programas praticados em parceria da COOPAFARGA, APAFARGA e a CONAB (como o programa de aquisição de alimentos, doação simultânea) e os 30% da alimentação escolar” destacou Ilso.
A técnica Agrícola Flavia Godói, funcionária do departamento confessou ficar encantada após cada realização do programa. Ela comenta que é gratificante participar e auxiliar o Instrutor Mario Terashima, que também é produtor. “Minha maior satisfação é quando durante as assistências técnicas a campo nos deparamos com produtores preocupados com as questões ambientais e de saúde, buscando informação e alternativas nos controles de pragas e doenças”, comentou Flávia ressaltando que “já temos produtores alunos deste programa com produção de Berinjela Orgânica – e isso é uma realização profissional e motivadora”.
Entre os produtos orgânicos que os agricultores alunos do programa pretendem oferecer ao mercado, estão: o palmito pupunha, beterraba, berinjela, cenoura, pepino, couve, couve-flor, rúcula, tomate, alface, abóbora, vagem, e temperos. Com a realização deste programa e a parceria com a Aovale esta se construindo uma parceria onde os alunos já estão recebendo visitas técnicas de técnicos da Aovale (Associação de Produtores Orgânicos do Vale do Ribeira) no projeto de ATER (Assistência Técnica e extensão Rural), focando a certificação participativa. “A busca de qualidade de vida do produtor e de seu produto, esta sendo o nosso diferencial”, ressalta o prefeito Merce Hojeije destacando que “hoje o município adquire os 30% da alimentação escolar dos nossos produtores locais, além de adquiriemos do agricultor produtos através de pregões. E quando se fala em alimentação escolar estamos falando de qualidade de vida dos nossos alunos que recebem produtos de qualidade e dos produtores que conseguem uma geração de renda a mais. Se somarmos estas compras ao programa de Doação Simultânea em parceria com a Coopafarga, Apafarga e Conab é mais geração de renda para os agricultores. Em números o município atualmente atende 1630 famílias no programa PAA modalidade doação simultânea”, concluiu o prefeito Merce.



Um comentário:

  1. Este blog é muito bom, gostaria de fazer uma parceria, adicionei você no meu blog quando você me adicionar me dê um aviso no e-mail.

    Aguardando retorno,

    Allan - Animal em Risco
    (www.animalemrisco.blogspot.com)
    O Blog Selvagem!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...