sexta-feira, 23 de março de 2012

Funterra incentiva implantação de hortas orgânicas em Corumbá

Alimentos produzidos sem utilização de agrotóxicos ou qualquer outro tipo de produto que possa causar dano à saúde, é o que pretende a Fundação de Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário (Funterra) da Prefeitura de Corumbá, que está incentivando os pequenos produtores rurais dos assentamentos existentes na região, a implantar hortas orgânicas, visando produção de verduras e legumes que estão se tornando hábito na mesma do brasileiro. Para tanto a instituição está desenvolvendo um projeto em parceria com a Embrapa Pantanal, para disseminar informações aos pequenos produtores rurais sobre estas técnicas.
A diretora presidente da Fundação, Luciene Deová, lembra que a agroecologia está sendo alvo de trabalho intenso por parte da equipe do órgão e parceiros, principalmente a Embrapa, "por entendermos que esse é o melhor caminho para produção sustentável dentro do município de Corumbá", observou, lembrando que este tipo de atividade contribui também para preservação do meio ambiente. Para tanto, equipe da Funterra está difundindo técnicas de manejo de hortaliças, leguminosas, tubérculos, frutíferas e essências florestais, junto com a Embrapa, buscando melhorar a qualidade da alimentação do corumbaense e ladarense.
A ideia é fazer com que os pequenos produtores rurais sigam o exemplo do empresário Rafael Candia que está trabalhando a técnica de produção de alimento orgânico, em uma horta implantada na propriedade rural da família, às margens da BR 262. Ele conta com apoio técnico da Funterra, que disponibilizou uma equipe para acompanhar de perto a produção. Um dos técnicos da Fundação é o agrônomo Edecio Burguês de Andrade que tem dado assistência técnica a Candia, principalmente no que refere ao controle de pragas e desenvolvimento da planta.O trabalho é realizado junto com o biólogo Miroslav Tyemeljkovitch. A preocupação dos dois é com relação ao pulgão e tripés, sugadores que atrasam o desenvolvimento da planta. 
"Como aqui tudo é produzido sem o uso de agrotóxico ou outro tipo de produto para eliminar as pragas, o controle tem que ser constante. Além dessas pragas, é preciso tomar cuidado também com as lesmas, lagartos e gafanhotos, que também atacam a produção", comentou Edecio, enquanto observa um pequeno pé de alface, com auxílio de uma lupa.Hoje, a horta está produzindo somente a alface, carro chefe. Rafael explicou que, no local, a produção é mais ampla. "Produzimos também rúcula, espinafre e outros tipos de verdura", afirma o produtor, para lembrar que o pantaneiro ainda não está habituado com alimentos orgânicos, talvez pelo preço ser acima dos alimentos produzidos normalmente. Acredita que isto vai mudar, "é uma questão de tempo. Tudo tem um começo".
Rafael comenta que o hábito de produzir alimentos orgânicos vem do seu pai, Rafael Candia. "Vem dele, sempre plantamos, sempre gostamos disso. O que produzimos na horta é comercializado na cidade. Além de gerar emprego, a horta ajuda manter despesas da fazenda", comenta. Sobre o fato de produzir alimentos produzidos sem uso de agrotóxicos, Rafael cita que ele e sua família sempre tiveram gosto pelo alimento orgânico. "É bom para a saúde. Se é bom para nós, é bom para todos. Por isso estamos plantando", destacou. 

A horta 

Enquanto Edécio e Miroslav inspecionavam os canteiros, Roselino Rodrigues da Silva, 29 anos, comentava sobre o prazer de estar contribuindo para levar até a mesa do consumidor, um alimento mais saudável. Ele é que cuida da horta, enquanto sua esposa, Ana Paula Apareci da Roma, 27 anos, é responsável pela produção das mudas. "É trabalhoso. Tem que estar sempre atento contra as pragas", comenta Roselino. Hoje a horta conta com um total de 52 canteiros. "Hoje, estamos com 21 produzindo e duas pessoas trabalhando. 
Quando a produção atinge todos os canteiros, é preciso mais gente para trabalhar", diz, lembrando que, cada canteiro comporta 500 mudas de alface. Toda a produção abastece um supermercado local. "É pacote fechado", afirma.A horta de Rafael está sendo um exemplo. A Funterra quer que outros produtores rurais sigam o exemplo e cultivem o hábito de produzir alimento orgânico nos assentamentos rurais. E foi pensando em difundir estas técnicas que, no mês passado, a Fundação enviou três técnicos para participar do Showtec 2012 em Maracaju (MS), para colher subsídios visando massificar na região pantaneira, o cultivo de alimentos orgânicos. 


Fonte: http://www.correiodecorumba.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...