terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Eles fabricam iogurte orgânico com know-how único

Satisfazer o gosto do publico e produzir com ética, são os dois princípios que norteiam os franceses Sébastien Branche e Alain Blin em sua fazenda, Le Cret de la Fée em Saint-Just-d'Avray, eles distribuem os seus iogurtes e sobremesas para as empresas locais, incluindo Lamure, Civrieux, e em alguns pontos de venda em Beaujolais e Lyons .
Sébastien Branche explica: "Os consumidores de nossos produtos questionam a origem geográfica dos seus alimentos, os modos de produção e o desenvolvimento econômico, social e ambiental de sua compra. Eles querem produtos mais responsáveis ​​e éticos. No entanto, um segundo movimento, os programas de culinária, leva os cidadãos a produtos mais saborosos. O sabor continua a ser o primeiro critério. E com essa vontade geral, emerge uma nova economia. Ao escolher a agricultura orgânica e nossa ética pessoal, nós nos encaixamos nesse desenvolvimento sustentável”.
Com 30 vacas leiteiras Montbéliarde em um ambiente protegido do Beaujolais Vert, onde agricultura orgânica é dominante, Branche afirma, "Estamos voltados para a exploração do leite orgânico, com a escolha de ingredientes nobres 100% orgânicos e know-how único, oferecemos 8 tipos de  iogurte (simples ou morango, damasco, amora, cereja, pêra, tangerina e figo) e iogurtes bebíveis (morango, manga e baunilha ). Nesta época festiva, oferecemos um delicioso leite com chocolate, e sobremesas de cremes (de chocolate, sabor avelã e gengibre) e pudim de semolina tradicional. "Finalizou Branche.


Fonte: http://www.leprogres.fr

sábado, 24 de dezembro de 2016


Que o seu Natal seja brilhante de alegria, iluminado de amor, cheio de harmonia e completo de paz. Feliz Natal!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Ovos orgânicos com frases de boas festas

Durante as festividades do final do ano, cinco milhões de caixas de ovos orgânicos serão comercializados com uma surpresa dentro. Cada ovo terá impresso as palavras "Votos", e "desejos de um Feliz 2017" .
"Queríamos criar um evento para os feriados”, explica Bruno Mousset, diretor da empresa de ovos francesa Fouchardière Yves. "Nós encontramos um parceiro que criou uma impressora para colocar os nossos votos sobre os ovos com tinta comestível. Este é um aceno simpático para os nossos consumidores. Não tem nenhum outro propósito além de criar ligações e de agradecer aos nossos consumidores.” Os ovos que terão os votos são os ovos orgânicos e os ovos vermelhos convencionais que fazem parte da campanha "Descubra os nossos melhores desejos em seus ovos."


domingo, 18 de dezembro de 2016

A empresa de laticínios britânica Arla tem como alvo para os próximos anos o mercado de leite orgânico

A empresa ARLA esta sendo responsável pelo ressurgimento da demanda no Reino Unido para produtos orgânicos com o lançamento do seu primeiro leite orgânico.
A empresa esta utilizando um investimento maciço em propaganda para tornar-se um nome familiar em 2020, o lançamento vai envolver uma campanha de marketing global no ano novo.
O diretor Tomas Pietrangeli da Arla afirmou: "Estou muito contente por nós estarmos lançando o leite orgânico Arla. É um marco significativo em nossa agenda de crescimento e nos permite começar a mostrar a nossa história orgânica. Como a categoria está em ascensão, vemos muito potencial para proporcionar mais valor na categoria de leite. "
Buscando um diferencial da maioria dos seus concorrentes, o leite orgânico Arla não será homogêneo, ou seja, haverá uma camada de creme na parte superior da garrafa, uma característica que poderia apelar para uma ampla gama de clientes, incluindo tanto a nostalgia dos antigos como da geração mais jovens interessados ​​em experimentar o leite fresco de uma maneira diferente.
A Presidente da Arla, Shirley Preston, disse: "O lançamento do Arla orgânico demonstra o compromisso da Arla para com os orgânicos, e é um grande impulso para os produtores de leite orgânico de modo geral.” O leite, estará disponível inicialmente nas lojas da Tesco nesta semana, com uma distribuição mais ampla a partir de janeiro de 2017.


sábado, 17 de dezembro de 2016

Faça seu bebê feliz com roupas de algodão orgânico

Nós ouvimos freqüentemente frases como, a pele macia do bebê, e não é nenhum clichê dizer que os bebês devem a sua pele  mais macia pela dedicação dos pais, e é de sua responsabilidade certificar-se de que permanecerá assim por muito tempo. Você pode investir em todos os produtos de cuidados de pele para seus bebês para manter sua pele saudável, segura e macia, mas você sabia que as roupas que seus filhos usam contribuem muito para garantir a segurança de sua pele. Todas essas preocupações deram à roupa orgânica uma importância muito grande.
Roupas orgânicas são feitas usando fibras naturais, um processo completamente seguro, onde até mesmo os agentes de coloração e tingimento também são orgânicos e completamente inofensivos a natureza. Além disso, também é uma boa idéia escolher as marcas que lidam com vestuário de comércio justo. Com a crescente conscientização relacionada a isso, você não vai apenas fazer o melhor ao seu filho, mas também fará uma enorme contribuição para o desenvolvimento socioeconômico das pessoas envolvidas na agricultura orgânica.
Voltando à roupa, você pode imaginar que as marcas que vendem roupas orgânicas têm opções limitadas em roupas e muita coisa extravagante está disponível. Mas se você der uma pesquisada você verá que existe um grande número de opções em cada categoria para você escolher.
Uma vez que você faça com que seus filhos usem essas roupas, elas trarão uma boa sensação sobre a pele que não ficará irritada, o que normalmente acontece com as crianças quando são vestidas com roupas novas.Utilizar tecidos orgânicos básicos e desenhos que são adequados para as crianças, fará com que você nunca mais vai querer vestir seus bebês com qualquer outra coisa. Uma vez que elas vêm com todas as certificações, você pode ter certeza sobre a sua qualidade e longevidade. Embora o preço seja um pouco mais alto você perceberá com o tempo que vale cada centavo que você gastou com elas.

Fonte: https://yourstory.com

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

A gigante empresa vietnamita de laticínios Vinamilk pretende produzir leite orgânico para o mercado local

A gigante empresa vietnamita de laticínios Vinamilk lançou um projeto para produzir uma linha de produtos de leite fresco orgânicod no país que atende aos padrões americanos e europeus. O leite totalmente orgânico é produzido por vacas criadas nas pradarias de Da Lat City nas regiões montanhosas do Vietnã.
Ao invés de viver em estábulos, as vacas circulam livremente nos verdes pastos da região e são estritamente vigiadas para não serem expostas a forragens geneticamente modificadas, hormônios de crescimento, antibióticos, pesticidas e fertilizantes químicos, garantindo que seu leite permanece 100 por cento orgânico e seguro. O leite orgânico da Vinamilk atende as normas do Departamento de Agricultura os EUA e da Europa para a agricultura orgânica.
A empresa também é a primeira empresa no Vietnã a ser certificada pela união de inspeção e controle global baseada na Holanda. De acordo com o CEO da Vinamilk,  Phan Minh Tien, o leite orgânico fresco é o próximo passo da empresa no sentido de proporcionar a população vietnamita uma acesso mais fácil e menos caro,ao leite produzido localmente e aos produtos orgânicos saudáveis.
A Vinamilk é a maior produtora de leite do Vietnã, registrando US $ 1,8 bilhões em receitas em 2015. Nesta semana, 60 por cento dos 130 milhões de ações da empresa estatal foram comprados por investidores privados.

Fonte: http://tuoitrenews.vn/

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Produtor de queijo canadense é um exemplo da força do setor orgânico em Quebec

Durante o verão, as vacas de Daniel Gosselin e Suzanne Dufresne pastam em pastagens semeadas com mais de uma dúzia de plantas com flores cuidadosamente escolhidas. No inverno, eles ficam dentro de um celeiro quente e espaçoso e mudam sua dieta para forragens secas.
A dieta sazonal da vaca é o ingrediente secreto que transmitem os sabores distintos dos queijos finos produzidos na cidade de  Saint-Jean-sur-Richelieu, Canadá,  onde o casal faz com leite orgânico rico e certificado do seu pequeno rebanho de vacas Brown Swiss.
Sua fazenda, nas pradarias Ferme des Belles, tem sido da família Gosselin desde 1950 e é certificada orgânica por mais de 20 anos. Hoje eles vendem uma variedade de linhas de queijos especiais tanto no "verão" quanto no "inverno" queijos para clientes que amam tanto os mais escuros amarelos-laranja que produzem no verão, enquanto as vacas pastam nos campos, e os queijos mais brancos que elas produzem no inverno.
Ser um fabricante de queijo ou produtor certificado de leite orgânico não é incomum em Quebec, é claro. O diretório provincial de produtos orgânicos certificados para Quebec lista atualmente 111 produtores de leite orgânicos, certificados pela Ecocert ou Organisme de certificação Quebec-Vrai.
O que distingue a exploração agrícola de Gosselin e Dufresne é que eles ainda são um dos poucos fabricantes de queijo em Quebec que permanecem no negócio altamente regulamentado de produção de queijo de leite cru.
Quebec é a única província do Canadá onde queijos de leite cru com idade inferior a 60 dias podem ser vendidos, desde que todos os padrões exigidos relacionados à higiene, acompanhamento e inspeções sejam mantidos.
Dizer que Gosselin e Dufresne têm sido bem sucedidas é um eufemismo. Eles têm produzido queijos premiados e hoje emprega nove pessoas, incluindo sua filha Marie-Pier. Eles utilizam todo o leite do seu pequeno rebanho de 30 animais e produzem com métodos de gestão biológica na sua fazenda de 65 hectares que é quase inteiramente auto-suficiente em alimentos para animais.


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

A procura por ovos orgânicos esta aumentando no mercado britânico

Desde 2006 as galinhas britânicas produziram cerca de 100 bilhões de ovos, suficiente para cerca de 150 por pessoa, por ano. A maioria dos ovos vieram de galinhas criadas em pequenas gaiolas. Agora, no entanto, a Grã-Bretanha está produzindo tantas ovos ao ar livre como os enjaulados. Para aqueles preocupados com o bem-estar animal esta é uma grande notícia. Por que esta forma de produção está mudando??  
A lei tem algo a ver com isso. Graças a um plano urdido pela União Européia, a partir de 2012 as gaiolas menores foram proibidas. A partir desse ano, os produtores de ovos foram obrigados a fornecer gaiolas maiores às galinhas, mais confortáveis, incluindo áreas onde elas possam fazer ninhos. O ministro da agricultura do governo afirmou solenemente para os britânicos "a indústria de ovos sozinha gastou 400 milhões de libras para garantir que as galinhas vivam em melhores condições". Por outro lado, nem todos os agricultores têm tido esta visão de futuro.
A última edição governamental das estatísticas trimestrais da produção de ovos sugere que, no terceiro trimestre deste ano as fazendas produziram tantos ovos ao ar livre como os de galinha enjauladas. Como mostra o gráfico abaixo:
A pressão de grupos como o Animal Aid faz os consumidores britânicos não comprarem  ovos de produtores de má reputação. Nestes dias, os varejistas se vangloriam de suas credenciais pró-frango. A Marks & Spencer, uma cadeia de supermercados de luxo, não quer ter má publicidade, eles tem uma "política de 100% ovos free-range “compreendendo ovos inteiros e os utilizados em produtos preparados. Nos últimos meses, outros supermercados têm alterados suas políticas anti-gaiola, com a maioria esperando eliminá-las por completo dentro de alguns anos. 
O futuro também parece brilhante. os preços dos ovos caíram nos últimos anos, mas os ovos free-range tornaram-se mais caro em relação a outros tipos. Isto dá aos agricultores um incentivo para produzir mais deles em detrimento da variedade enjaulada. No entanto, os consumidores britânicos têm um limite para a sua preocupação pelo bem-estar de frango. As vendas de ovos orgânicos, para os quais os clientes desembolsam mais de duas vezes tanto quanto para os de galinha enjauladas, tem tido limitações nos últimos anos devido a crise econômica.


Fonte: http://www.economist.com/

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

FMI libera novo relatório sobre Mercado mundial de Leite Orgânico

O mercado de leite orgânico engloba todo leite e produtos lácteos provenientes de animais que são alimentados com alimentos desprovidos de quaisquer subprodutos animais, têm acesso a pastos frescos, e não são tratados com quaisquer hormônios sintéticos ou antibióticos. O termo orgânico refere-se apenas ao processo em que o leite é preparado e não tem relação com o perfil nutricional do produto final. Espera-se que o mercado para o leite orgânico cresça a um ritmo rápido com a integração de alimentos naturais e orgânicos.
A dinâmica do mercado de Mercado Leite Orgânico
Semelhante a todos os alimentos orgânicos, a demanda por leite orgânico está intimamente ligados à crescente preferência dos consumidores por produtos naturais e cultivados organicamente. Esta visão positiva de orgânicos é devido a vários fatores, tais como a percepção de que orgânico é saudável e puro, que aumenta o cuidado com o meio ambiente e a preocupação com os animais de fazenda. Todos esses fatores são cruciais para a aceitação de produtos lácteos orgânicos.
O preço é um importante fator limitativo para o mercado de leite orgânico, pois o leite orgânico é quase três vezes mais caro que o leite regular. Esta grande diferença limita o âmbito do mercado apenas para os consumidores urbanos de poder aquisitivo maior.
Os aspectos regulatórios do mercado de leite orgânico são principalmente centrados na utilização do rótulo "biológico". O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) exige que, além do uso de alimentos biológicos para animais, as vacas devem ter acesso a grama fresca e passar pelo menos quatro meses por ano em pastagens. O aspecto crucial do mercado do leite orgânico é a falta de uso de hormônios sintéticos, tais como rBGH, um hormônio de crescimento dado a quase 30% das vacas leiteiras nos EUA. Estes ingredientes são considerados muito negativamente pela maioria dos consumidores.
Segmentação de Mercado de mercado Leite Orgânico
O mercado de leite orgânico é segmentado com base na aplicação, tipo de embalagem, canal de distribuição e geografia.
Com base na aplicação, o mercado de leite orgânico é segmentado como leite, produtos lácteos e bebidas à base de leite e outros. A maioria do leite orgânico é consumido diretamente sob a forma de leite fervido, café, chá, e em certos pratos. O uso de leite orgânico é particularmente maior em famílias com crianças devido a preocupações adicionais sobre segurança alimentar e saúde. O segmento de produtos lácteos é ainda dividido em manteiga, queijo, sobremesas, entre outros. Espera-se que o segmento de produtos lácteos ganhe uma quota maior de mercado com o crescente interesse dos consumidores por alimentos saudáveis. Além disso, estes produtos são utilizados em padarias e confeitaria na produção de bolos e biscoitos.
Com base no tipo de embalagem, o mercado pode ser segmentado em saco, caixas, garrafas e latas. O uso de qualquer tipo de embalagem específico depende do objetivo-final e uso. Por exemplo, os sacos oferecem uma maneira relativamente barata e fácil de embalar leite e são, portanto, muito popular em países emergentes como a Índia. As caixas de cartão são um importante tipo de embalagem em termos da vida útil mais longa e conveniente. As garrafas podem ser de vidro e plástico e são muito utilizadas para a embalagem de leite e bebidas. As latas são principalmente usadas para o transporte de cargas pesadas de leite orgânico e, no caso de muitos produtos lácteos.
Com base nos canais de distribuição, o mercado é segmentado em hipermercados / supermercados, conveniência e supermercados, lojas especializadas, Internet e venda direta. O uso da internet é limitado no caso do mercado do leite orgânico porque os produtos são facilmente perecíveis. Hipermercados e supermercados ocupam a quota de mercado dominante, principalmente porque um número significativo de produtos orgânicos esta concentrado em grandes lojas. A venda direta em forma de entregas a domicílio também é um canal de distribuição importante e em crescimento, porque esses sistemas de entrega geralmente partir de fontes locais, asseguram a frescura e qualidade.
Os Estados Unidos dominam o mercado de leite orgânico. A consciência crescente dos consumidores sobre bens de consumo naturais vem aumento devido a incidência de doenças de estilo de vida, como a obesidade. A Europa é outra região muito importante no mercado de leite orgânico devido aos níveis de alta renda, a acessibilidade fácil do produto e regulamentos rigorosos contra ingredientes alimentares sintéticos. O Reino Unido é um grande consumidor de leite orgânico e também abriga muitos produtores e fornecedores. Apesar de ocupar pequena participação de mercado no período atual, espera-se que o mercado de leite orgânico cresça a um nível significativo em países emergentes, como Índia e Brasil. Isto é devido aos crescentes níveis de sensibilização e medos de adulteração de alimentos entre os consumidores.
Principais intervenientes no mercado a mercado Leite Orgânico
Algumas das principais empresas do mercado de leite orgânico incluem Danone (WhiteWave Foods Company), Fonterra Co-operative Group Limited, Organic Valley, OMSCo, Dairy Farmers of America Inc., Agropur Dairy Cooperative, Arla Foods , Donegal Investment Group plc.  Entre os outras.

Fonte: http://satprnews.com

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

BioFach China 2017

Desde 2012, o consumo de alimentos orgânicos na China responderam por 1,01% de todo o consumo de alimentos, um aumento de 0,65% em comparação com 0,36% em 2007. Prevê-se que a escala de mercado de orgânicos chinês passara dos 24.800 para 59.400 milhões de  em 2015. de acordo com o ritmo de crescimento, a quota de alimentos orgânicos  vai chegar a 2% do mercado global de alimentos. 
Organizado pela NürnbergMesse  a BIOFACH China é a mais nova filha da BioFach, a maior feira de produtos orgânicos do mundo realizada anualmente em Nürnberg, Alemanha. Desde 2007, a BIOFACH China sera a feira de produtos orgânicos mais influente na China. Sob o patrocínio da IFOAM, que é a única feira de negócios na China, que  se concentra em produtos orgânicos certificados.

Fonte: http://www.biofachchina.com/en/home.php 

domingo, 11 de dezembro de 2016

O mercado francês de produtos orgânicos cresceu fortemente nos últimos anos

O mercado francês de produtos orgânicos teve um crescimento forte de 4,56 bilhões de euros em 2013, dos quais 4,38 bilhões de euros de consumo doméstico, ou cerca de 2,5% do mercado nacional de alimentos. De acordo com a CSA-Agence BIO, 75% dos franceses consumiram produtos orgânicos em 2013, enquanto em 2012 era 64%. Quase metade dos franceses consumiram produtos orgânicos pelo menos uma vez por mês. Frutas e legumes continuam sendo os produtos orgânicos mais consumidos, seguidos por produtos lácteos e ovos. No Sudeste da França, se concentra o maior índice de  consumidores de produtos orgânicos da média nacional.
Desde 2007, restaurantes públicos foram encorajados a introduzir produtos orgânicos em seus serviços, com a recomendação de 20% de produtos em 2012, um número que não foi atingido. Em 2011, os orgânicos representaram apenas 2,1% do mercado.
No entanto, o consumo de orgânicos atingiu € 158 milhões em 2011, um aumento de 21% em um ano. Com 7000 restaurantes (ou 9,5% do numero nacional de restaurantes coletivos), a região de Rhône nos Alpes é a segunda região francesa de maior consumo de orgânicos.
No ano letivo de 2011/2012, 54 escolas introduziram regularmente produtos orgânicos e alcançaram 100% de refeições orgânicas, consumindo 199 toneladas de produtos orgânicos (8% das suas compras).Estudos realizados no território mostraram que os principais produtos consumidos foram os lácteos, frutas e vegetais e o fornecimento de produtos orgânicos locais foi de 60% a 80% da oferta total de produtos.


Fonte: http://www.corabio.org

sábado, 10 de dezembro de 2016

O mercado de cosméticos orgânicos do sudeste da Ásia aumentará em mais de 10% até 2020

O mercado de cosméticos orgânicos do sudeste asiático foi avaliado em cerca de US $ 40 bilhões em 2015, e em 2020, espera-se que chegue a US $ 66 bilhões, aumentando  a sua CAGR (Compound annual growth rate ou Taxa de crescimento anual composta) em mais de 10%, de acordo com um estudo da ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático) para isso, um mercado emergente de cosméticos orgânicos, é esperado para testemunhar a alta demanda, impulsionado por uma série de fatores.
O aumento da consciência sobre os potenciais efeitos colaterais de cosméticos sintéticos é um fator chave na condução do aumento da demanda por cosméticos orgânicos. A percepção positiva em relação aos cosméticos orgânicos, a disponibilidade de ampla gama de cosméticos orgânicos e o surgimento de uma classe média forte na ASEAN entre outras regiões importantes alimentam a demanda. Por conta desses fatores, espera-se que o mercado de cosméticos orgânicos tenha um aumento de mais de 9% até 2020 e atinja US $ 4,4 bilhões em receitas. 
O alto custo, a vida útil limitada e a falta de norma de certificação foram identificados como os principais desafios para o crescimento do mercado de cosméticos orgânicos. Há uma necessidade urgente de estabelecer normas de certificação rigorosos, de modo que apenas as marcas confiáveis e genuínos sejam capazes de lançar seus produtos no mercado. Com base no tipo de produto, o mercado de cosméticos orgânicos pode ser amplamente dividido em cuidados da pele, cabelo, maquiagem, fragrâncias e produtos de higiene pessoal. 
Entre estes, os produtos orgânicos do cuidado do cabelo representaram a maior parcela da receita do mercado em 2015. Avaliada em US $ 780 milhões em 2015, a demanda por produtos para o cabelo orgânicos na ASEAN deve chegar a US $ 1,24 bilhões até o final de 2020. O cuidado com a pele é o segundo maior tipo de produto com base em receitas, no valor de US $ 671 milhões em 2015. Este segmento deverá crescer em um CAGR de 9,7% até 2020, e superar os US $ 1 bilhão em receitas em 2020. Fragrâncias orgânicas também são produtos de higiene pessoal que irão expandir a sua CAGRs no período previsto. 

Em termos de receitas, Tailândia, Indonésia e Filipinas são os três maiores mercados para cosméticos orgânicos na ASEAN. 

A Tailândia é o maior mercado de cosméticos orgânicos na ASEAN, e foi responsável por uma parcela da receita de quase 30% do mercado global em 2015. Avaliada em US $ 809 milhões em 2015, espera-se que o mercado da Tailândia de cosméticos orgânicos expanda-se a sua CAGR em 9,4% chegando a US $ 1,29 bilhões em receitas em 2020. Salão de Beleza e farmácia / drogarias são os dois maiores canais de distribuição na Tailândia, coletivamente responsáveis por quase 57% das vendas totais. 
A Indonésia é o segundo maior mercado, com receitas totais no valor de US $ 671 milhões em 2015. No entanto, o mercado de cosméticos orgânicos da Indonésia deverá expandir sua CAGR a um nível ligeiramente inferior ao resto dos países da ASEAN. Os salões de beleza e websites de e-commerce são os dois maiores canais de distribuição de cosméticos orgânicos na Indonésia. 
O mercado de cosméticos orgânicos Filipinas foi avaliado em US $ 552 milhões em 2015. Os varejistas de mercadorias em geral são responsáveis por uma elevada percentagem das vendas totais de cosméticos orgânicos nas Filipinas. 


sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Shopping de Jaraguá do Sul – SC terá feira de orgânicos todas as sextas-feiras

Têm novidade para os jaraguaenses adeptos da alimentação saudável, natural e livre de agrotóxicos: nessa sexta-feira (9), o Jaraguá do Sul Park Shopping vai receber a primeira Feira de Orgânicos. Mas a boa notícia mesmo é que a feira será uma ação semanal dentro do empreendimento. A feira acontecerá todas as sextas-feiras, das 10h às 20h, no piso L1.
O principal objetivo é facilitar o acesso a frutas, verduras e hortaliças orgânicas, vindos diretamente campo do agricultor para a mesa dos consumidores. Todos os alimentos comercializados na iniciativa possuem a certificação de produção orgânica emitida pelo Ministério da Agricultura.


Fonte: Comunicação Jaraguá do Sul Park Shopping/Entrelinhas

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

China e Nova Zelândia assinam acordo de reconhecimento mutuo de produtos orgânicos

O acordo, assinado em Pequim, em 14 de novembro, seguiu três anos de negociações discretas e um ano de intensa cooperação envolvendo o Ministério de Indústrias Primárias (MPI), os produtores de orgânicos, e certificadores em ambos os países. O acordo abrange a exportação e importação de alimentos orgânicos e ingredientes, com exceção da apicultura, a aquicultura (peixe, mariscos e plantas aquáticas), e têxteis. Pelo menos 95% dos ingredientes de produtos processados ​​orgânicos exportados na Nova Zelândia ou China, devem ser certificados de acordo com OOAP da Nova Zelândia ou padrões orgânicos chineses.
O Gerente de Produção de Alimentos e Processamento Jacqui Bird disse que o negócio vai apoiar o crescimento do setor orgânicos da Nova Zelândia, proporcionando maiores oportunidades de exportação e importação.
"As exportações de produtos orgânicos certificados para a China são atualmente de US $ 27 milhões e tendem a crescer devido a custos de conformidade reduzidos e uma maior segurança e facilitação que o acordo proporciona aos exportadores da Nova Zelândia. Uma ampla gama de ingredientes orgânicos também estará disponível para alimentos processados ​​e insumos orgânicos para outros produtores.”
Rick Carmont, diretor executivo da Associação de Exportadores orgânicos da Nova Zelândia acredita que os custos de conformidade de certificação para o mercado chinês vai cair de cerca de US $ 150.000 por ano para menos de US $ 40.000, e que as exportações de produtos orgânicos da NZ para a China poderá dobrar dentro de um ano com o acordo.
A indústria orgânica na China tem crescido rapidamente nos últimos anos, de acordo com um  relatório de mídia chinesa, apesar de desaceleração da economia da nação. A venda total de produtos orgânicos atingiu 60 bilhões de yuans (US $ 12,3 bilhões) no ano passado, o dobro do que em 2013, com os produtos mais populares sendo os produtos lácteos, vinho, arroz e vegetais.
Certificadores chineses ainda terão de se envolver no processo de exportação de produtos orgânicos, como todos os produtos orgânicos chineses devem ter um único código de barras de 17 dígitos e estes terão de vir da China. Mas uma vez que os sistemas são criados, este deve ser um processo relativamente simples. Jacqui Bird disse ainda que o negócio chinês eleva o número de países com reconhecimento mútuo de certificação orgânica para 36, ​​a maioria deles na Europa. A próxima prioridade para MPI é conseguir um acordo similar com a Coréia do Sul e os EUA.
Rick Carmont disse que a Nova Zelandia é o primeiro país a assinar um acordo de reconhecimento mútuo para a certificação de produto orgânico com a China é "um grande passo para o sistema de segurança alimentar da Nova Zelândia". Ele diz que, da mesma forma que a China assinou seu primeiro acordo de comércio livre com a Nova Zelândia, poderá funcionar como um modelo comercial para futuros acordos.


Fonte: http://www.oanz.org/

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

O mercado mundial de proteína de soja orgânica deve crescer nos próximos anos

O mercado de proteína de soja orgânica devera alcançar US $ 500,4 milhões em 2021 de acordo com as projeções, com um aumento de 17,3% de 2016 a 2021. Com o crescente interesse na saúde e a busca pelos benefícios nutricionais dos alimentos orgânicos entre os consumidores e as múltiplas aplicações de uso final da proteína de soja, é esperado melhorar a demanda por proteína de soja orgânica e o crescimento do mercado de 2016 a 2021. Esses fatores levaram à adoção da proteína de soja orgânica em várias aplicações alimentares, tais como indústrias que fabricam alimentos funcionais, entre outros.
O ano base considerado para este relatório é 2015. Os objetivos para este estudo também incluíram a definição do mercado de proteína de soja orgânica, identificando os condutores e restrições do mercado e determinando futuras oportunidades e ameaças ao mercado. Para realizar este estudo, o mercado de proteína de soja orgânica é segmentado em função do tipo, aplicação, e forma. O mercado de proteína de soja orgânica também é segmentada com base na região na América do Norte, Europa, Ásia-Pacífico, e o Resto do Mundo .

http://www.marketsandmarkets.com

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Cultivo de maçã e pêra orgânica na Europa em 2016 não sofre queda

A colheita de maçã e pêra orgânica Européia em 2016 foi de pouco menos de 160.000 toneladas métricas, o que é quase exatamente a mesma quantidade que a safra do ano passado. No entanto, devido à geada que afetou as flores, existem algumas diferenças regionais consideráveis. Em geral, as áreas afetadas pela geada são a Áustria, sul da Alemanha e do Vale Vinschgau. Boas colheitas, como visto em 2014, foram colhidas nas regiões mais ao norte da Europa, como a Alemanha, os Países Baixos e na Bélgica, mas também em partes da Itália e França.As variedades de maçãs européias mudaram devido às diferenças de colheita regionais. Havia boas colheitas com as maçãs do grupo Jonagold e com a Elstar, no entanto colheitas eram mais escassas com a Gala, Golden Delicious, Topaz e maçãs Pinova. A qualidade do fruto é mais variável. Além da geada durante a floração, havia boas condições climáticas este ano em muitas regiões. Durante e antes da colheita, especialmente, houve um clima perfeito com muito sol e pouca chuva.O mercado de orgânicos cresce ligeiramente de ano para ano. Isto também se reflete no aumento dos volumes de vendas no outono de 2016 em relação aos anos anteriores. Também deve ser notado que nesta temporada, hortas parecem ter produzido colheitas mais fracas, o que também aumenta a demanda por frutas e legumes nos mercados. Na análise geral do mercado europeu de frutas orgânicas, também este ano, a produção orgânica está associada a maiores riscos e custos mais elevados. Isto é geralmente refletida no desenvolvimento do mercado.


Fonte: http://www.fruchtportal.de/

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Em Bangladesh ocorreu o primeiro seminário internacional de tecido orgânico

Mais de 170 delegados de cinco países participaram do primeiro Seminário Global Organic Textile Standardem em Dhaka , Bangladesh, no dia 23 de novembro de 2016, participaram também, marcas internacionais e varejistas , fabricantes e exportadores, representantes do Governo de Bangladesh, organismos de certificação, profissionais de testes, de meios de comunicação, associações comerciais, ONGs, acadêmicos, e consultores. O tema da conferência foi “Cases de sustentabilidade com tecidos orgânicos”.
Hoje, das mais de 3.800 instalações  produtoras de têxteis orgânicos certificados em todo o mundo, mais de 400 estão em Bangladesh. Este é o quinto maior número de instalações certificadas em todo o mundo. Em seu discurso de boas-vindas, Sumit Gupta,  representante em Bangladesh e Índia da GOTS informou da intenção da Indústria Têxtil de Bangladesh do seu ambicioso objetivo de alcançar a cifra de 50 mil milhões de dólares em exportações de testeis e incentivar a indústria a usar a sustentabilidade como uma ferramenta para ajudá-los a alcançar este objetivo.  "Fiquei encantado ao ver um enorme interesse em sustentabilidade na indústria têxtil em Bangladesh. 
“O fato de que este seminário tinha uma casa cheia atesta os esforços que a indústria está fazendo no caminho para um futuro mais limpo. Os delegados mostraram grande entusiasmo durante as sessões de perguntas e respostas com os especialistas tirando as suas dúvidas, dando sugestões e até mesmo partilhando as boas práticas que eles seguem”, finalizou Rahul Bhajekar, um dos diretores da GOTS.


domingo, 4 de dezembro de 2016

Apesar da crise, o mercado orgânico mundial está crescendo

O setor orgânico global tem boas notícias nestes tempos de incerteza econômica. Apesar das previsões em contrário, o setor orgânico global continua a crescer em valor, área de terra, número de agricultores e do número de países. "O Mundo da Agricultura Orgânica" contém as últimas informações do setor orgânico. Ele é publicado anualmente pelo Centro de Pesquisa de Agricultura Orgânica na Suíça (FiBL) e IFOAM (International Foundation for Organic Agriculture) ,organismo global para o setor orgânico. Alguns dos destaques dos dados recolhidos da agricultura orgânica de 172 países em 2014 mostram os seguintes pontos.

O mercado orgânico mundial está crescendo

A empresa de pesquisa de mercado Organic Monitor estima que o mercado mundial de alimentos orgânicos em 2014 atingiu US $ 80 bilhões. O mercado aumentou de forma substancial de seus US $ 15,2 bilhões em 1999. Os Estados Unidos são o principal mercado, com US $ 30,4 bilhões, seguido por Alemanha $ 8,8 bilhões, França, com US $ 5,4 bilhões e China, com US $ 4,1 bilhões. Em 2014, o mercado orgânico sueca registrou um crescimento sem precedentes, aumentando em mais de 40 por cento - uma taxa notável para um mercado já bem estabelecido.

Mais de dois milhões de produtores

2,3 milhões de produtores orgânicos certificados foram relatados em 2014, mostrando um aumento contínuo dos 200.000 em 1999. Os países com o maior número de produtores foram à Índia (650.000), Uganda (190.552) e México (169.703). 

108 milhões de acres de terras agrícolas orgânicos

Um total de 108 milhões de acres tiveram gestão orgânica no final de 2014, representando um crescimento de quase 1.235 milhões de acres no levantamento anterior (dados 2013). Havia 27 milhões de acres de terra orgânica certificada em 1999. A Austrália é o país com a maior área agrícola orgânica, com 42,5 milhões de acres, seguido pela Argentina, com 7,7 milhões de acres e os Estados Unidos da América com 5,4 milhões de acres. 


Fonte: IFOAM

sábado, 3 de dezembro de 2016

Desidratados orgânicos, uma nova opção

A desidratação é o processo que elimina a água dos vegetais por meio de evaporação. A técnica é antiga e foi muito utilizada durante as guerras mundiais. Os alimentos continuam sendo fontes de vitaminas e os principais nutrientes são preservados. A grande vantagem é que esses alimentos podem ser armazenados por meses sem a necessidade de maiores cuidados, evitando também o desperdício. “A gente não produz tudo o que desidrata, mas temos parceiros, todos da agricultura familiar e produzem alimentos orgânicos. E como eles não possuem agroindústria, esta é uma forma de dar escoamento para a produção deles, porque o que ele não consegue vender, a gente compra e desidrata. A gente aproveita tudo”, diz Norma.
No Brasil, o mercado de desidratados tem crescido a cada ano, mas ainda é pequeno se comparado a outros países, como os Estados Unidos, que lidera o consumo e venda e alimentos desidratados. Por aqui, os agricultores já garantem um bom rendimento mensal com a comercialização. Eurípedes conta que alguns clientes costumam comprar e enviar os produtos até para o exterior. “Uma de nossas clientes costuma comprar até 25 sacos por vez e leva para a filha que mora na França”.
Os agricultores têm conquistado principalmente o mercado de pessoas mais preocupadas com a saúde e que buscam alimentos mais saudáveis, orgânicos e advindos de sistemas agroecológicos. De acordo com Norma, ao mudar para a chácara, eles passaram a plantar. “Aos poucos nós fomos plantando de tudo um pouco e hoje temos um sistema agroflorestal, que respeita o meio ambiente e garante alimentos saudáveis”, afirma.
A agroindústria de Norma e Eurípedes possui duas certificações de origem, o Selo de Identificação de Participação da Agricultura Familiar (Sipaf) e o selo de orgânico. “Sempre cultivamos sem o uso de agrotóxicos, mas os selos são importantes, porque também agregam valor ao nosso produto”, diz Norma Sueli.
Atualmente, os produtos das Desifrut são comercializados no Ceasa do Distrito Federal e em algumas feiras da cidade. O casal pretende lançar um aplicativo para celulares que vai permitir a venda dos produtos online. “A procura é grande e isso vai aumentar nossas vendas”, prevê Norma.

Políticas públicas

Em 2004 Norma participou de programa Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) e conheceu a técnica para manipular os produtos desidratados. Os desidratadores foram adquiridos por meio de financiamento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). O primeiro, em 2005, logo após participarem da Ater para desidratados. E então conseguiram abrir a agroindústria. Em 2011, para aumentar a produção, financiaram um novo desidratador, com o dobro da capacidade e que permitiu aumentar a renda familiar.

Além disso, o casal já participou de algumas feiras promovidas pelo então Ministério do Desenvolvimento Agrário, atual Secretaria de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), como, duas edições da Feira Nacional da Agricultura Familiar (Fenafra) uma no Rio de Janeiro e outra em Brasília e a feira Saberes e Sabores dentro da II Conferência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Cnater) que aconteceu este ano em Brasília. Segundo os agricultores esses eventos são importantes para dar visibilidade e promover a comercialização dos produtos.

Fonte:Portal do Ministério do Desenvolvimento Agrário

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Chile assina acordo com a União Européia sobre produtos orgânicos

O Diretor Nacional do Escritório de Políticas e Estudos Agrícolas (ODEPA), Claudia Carbonell e a Chefe da Direção-Geral da Agricultura da União Europeia, Maria Angeles Benitez, assinaram um acordo de reconhecimento bilateral no comércio de produtos orgânicos. Isso permitirá que os agricultores de ambos os países  vendam seus produtos a um mercado mais amplo. Como resultado, haverá mais produtos orgânicos disponíveis na Europa e Chile. A UE é responsável por 40 por cento de todo o mercado de alimentos orgânicos e o Chile exportou mais de US $ 43 milhões de produtos orgânicos para a Europa em 2015. O acordo, portanto, reúne dois grandes mercados e abre caminho para um maior crescimento.


quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Comprar o produto orgânico em feiras, diretamente do produtor, pode garantir uma alimentação saudável

Comprar o produto orgânico em feiras, diretamente do produtor, pode garantir uma alimentação saudável, responsável ambientalmente e mais barata. “Um orgânico vendido em supermercado pode custar até 200% mais caro do que o meu”, afirma o produtor Lucas Alves de Sousa, da fazenda de alimentos orgânicos Vista Alegre. Uma pesquisa realizada em 2015 pelo Instituto Kairós apontou que, nos supermercados, os orgânicos podem ser de duas a quatro vezes mais caros do que nas feiras. A pesquisa envolveu cinco cidades em quatro Estados do país. A jornalista Bruna Miranda, 33, consumidora de produtos orgânicos, percebe essa diferença. “Raramente compro orgânico no supermercado. Só quando tem um produto que quero muito (compro), porque na feira é mais barato”, diz. Ela freqüenta uma vez por mês a Feira Terra Viva, que acontece aos sábados no bairro Floresta, onde Sousa expõe produtos. Nas feiras orgânicas, são vendidos vegetais, ovos, geleias e bolos.Já na relação com o alimento convencional, o produtor Carlos Eduardo Boaz Martins, afirma que alguns orgânicos podem ser até mais baratos. “Alface eu vendo por R$ 3 e a americana por R$ 5. Em alguns supermercados, o convencional é mais caro”, afirma Martins. Sem Dúvida. Para ter certeza que um produto vendido no supermercado ou na feira é orgânico, o consumidor deve buscar o selo de certificação. Um alimento orgânico deve ser livre de agrotóxicos e de fertilizantes químicos. “Quando o produto é embalado, o consumidor deve procurar o selo de alimento orgânico. Na feira, o produtor pode apresentar um certificado”, explica a nutricionista do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Mariana Garcia. Para a organizadora da Feira Fresca, que reúne cerca de 20 produtores orgânicos na capital, Izadora Delforge, nem sempre o selo é cobrado. “Tem gente que faz questão sim, para ter certeza que é um produto orgânico. Mas para o pequeno produtor, o processo de certificação pode ficar caro. Então, cria-se uma relação de confiança, o cliente vai conhecer a produção, prova o produto, e compra mesmo sem o selo”, pondera. A médica Clarice Tomich, 35, relata essa confiança com Martins. “Compro na barraca dele sempre, e só busco no supermercado o que não encontro na barraca”, afirma.


Fonte: http://www.otempo.com.br/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...