quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

China e Nova Zelândia assinam acordo de reconhecimento mutuo de produtos orgânicos

O acordo, assinado em Pequim, em 14 de novembro, seguiu três anos de negociações discretas e um ano de intensa cooperação envolvendo o Ministério de Indústrias Primárias (MPI), os produtores de orgânicos, e certificadores em ambos os países. O acordo abrange a exportação e importação de alimentos orgânicos e ingredientes, com exceção da apicultura, a aquicultura (peixe, mariscos e plantas aquáticas), e têxteis. Pelo menos 95% dos ingredientes de produtos processados ​​orgânicos exportados na Nova Zelândia ou China, devem ser certificados de acordo com OOAP da Nova Zelândia ou padrões orgânicos chineses.
O Gerente de Produção de Alimentos e Processamento Jacqui Bird disse que o negócio vai apoiar o crescimento do setor orgânicos da Nova Zelândia, proporcionando maiores oportunidades de exportação e importação.
"As exportações de produtos orgânicos certificados para a China são atualmente de US $ 27 milhões e tendem a crescer devido a custos de conformidade reduzidos e uma maior segurança e facilitação que o acordo proporciona aos exportadores da Nova Zelândia. Uma ampla gama de ingredientes orgânicos também estará disponível para alimentos processados ​​e insumos orgânicos para outros produtores.”
Rick Carmont, diretor executivo da Associação de Exportadores orgânicos da Nova Zelândia acredita que os custos de conformidade de certificação para o mercado chinês vai cair de cerca de US $ 150.000 por ano para menos de US $ 40.000, e que as exportações de produtos orgânicos da NZ para a China poderá dobrar dentro de um ano com o acordo.
A indústria orgânica na China tem crescido rapidamente nos últimos anos, de acordo com um  relatório de mídia chinesa, apesar de desaceleração da economia da nação. A venda total de produtos orgânicos atingiu 60 bilhões de yuans (US $ 12,3 bilhões) no ano passado, o dobro do que em 2013, com os produtos mais populares sendo os produtos lácteos, vinho, arroz e vegetais.
Certificadores chineses ainda terão de se envolver no processo de exportação de produtos orgânicos, como todos os produtos orgânicos chineses devem ter um único código de barras de 17 dígitos e estes terão de vir da China. Mas uma vez que os sistemas são criados, este deve ser um processo relativamente simples. Jacqui Bird disse ainda que o negócio chinês eleva o número de países com reconhecimento mútuo de certificação orgânica para 36, ​​a maioria deles na Europa. A próxima prioridade para MPI é conseguir um acordo similar com a Coréia do Sul e os EUA.
Rick Carmont disse que a Nova Zelandia é o primeiro país a assinar um acordo de reconhecimento mútuo para a certificação de produto orgânico com a China é "um grande passo para o sistema de segurança alimentar da Nova Zelândia". Ele diz que, da mesma forma que a China assinou seu primeiro acordo de comércio livre com a Nova Zelândia, poderá funcionar como um modelo comercial para futuros acordos.


Fonte: http://www.oanz.org/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...