domingo, 22 de julho de 2012

Cosméticos orgânicos auxiliam no combate à Acne

Quase todo mundo já teve, pelo menos uma vez, problemas com acne e se viu próximo a diversas opções para tratamento. Mas qual seria o mais adequado? Uma solução muito utilizada é o uso de produtos que contenham ácido salicílico, que possui propriedades esfoliantes e antimicrobianas, porém uma parcela da população sofre de alergia a essa substância. 
Para quem quer driblar isso, há alternativas naturais como, por exemplo, as desenvolvidas a partir do óleo de Melaleuca e do Beracare AAA – Ativo Antiacne Orgânico, comercializados pela Beraca, empresa genuinamente brasileira, que há mais de 50 anos investe no desenvolvimento de tecnologias sustentáveis no Brasil. A Melaleuca é uma planta com ações antimicrobianas. Já o Beracare Antiacne Orgânico (AAA) contém Beta-cariofileno, Flavonoides, Limonoides, todos com propriedades anti-inflamatórias, capazes de regular o equilíbrio hidrolipídico da pele, reduzir a formação de acne e melhorar a aparência de oleosidade. 
“Os cosméticos orgânicos estão conquistando um espaço cada vez maior no mercado. De acordo com o ranking elaborado pela Euromonitor Internacional, o Brasil ocupa o terceiro lugar no mercado mundial de cosméticos, além disso, é estimado um crescimento de 7,4% até o final de 2012. Já os Estados Unidos estão no topo da lista, com um faturamento de US$ 5,1 bilhões. As matérias-primas naturais possuem agentes que oferecem diversos benefícios e podem substituir os produtos sintéticos sem agredir a pele e o meio ambiente”, explica Neliza Junque, responsável por Assuntos Regulatórios da Beraca, ressaltando a importância da utilização de novas soluções no combate à acne. 


 Fonte: http://www.wscom.com.br

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Tomate orgânico pode conter mais antioxidantes do que o tradicional

Uma alimentação saudável pressupõe que você coma salada com frequência, mas como ficar livre do excesso de agrotóxicos presentes em legumes e verduras? Famosos pela produção sem aditivos químicos, os alimentos orgânicos parecem também agregar benefícios à saúde.De acordo com pesquisadores da Universidade de Barcelona, tomates cultivados sem pesticidas possuem níveis elevados de antioxidantes quando comparados a versão tradicional. 
 De uma maneira geral, os tomates são ricos em polifenóis, antioxidantes que agem contra os danos causados pelos radicais livres, combatendo o envelhecimento precoce e prevenindo doenças generativas.Estudos recentes sugerem que a substância poderia ajudar a deter a propagação de certos tipos de câncer, além de proteger o organismo de doenças crônicas, como a artrite, e problemas cardíacos, graças a propriedades anti-inflamatórias e anticoagulantes. 

Alimento cultivado com agrotóxico teria menos benefícios à saúde 

Nos tomates orgânicos, a concentração dos polifenóis seria maior do que nos mesmos legumes cultivados com excesso de aditivos químicos. A descoberta contraria as determinações da agência inglesa de saúde alimentar, que dizia não ter encontrado diferenças nos benefícios para a saúde entre os tomates que recebiam ou não agrotóxicos. De acordo com os cientistas, a agricultura orgânica não utiliza fertilizantes nitrogenado, como consequência, as mudas respondem ativando seus próprios mecanismos de defesa, aumentando os níveis de todos os antioxidantes encontrados na sua composição. Segundo a equipe, quanto mais estresse a planta sofre, mais produz antioxidantes naturais, benéficos ao nosso organismo. 

Alimento possui 34 substâncias benéficas 

 No novo estudo, os cientistas encontraram 34 diferentes compostos benéficos presentes nos tomates, cultivados com ou sem agrotóxicos, muito além do que se poderia ser extraído de um suplemento alimentar. Os orgânicos ainda apresentaram taxas elevadas de polifenóis, quando comparados aos legumes cultivados com agrotóxicos. 


 Fonte: www.cenariomt.com.br

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Aposta em cachaça orgânica faz empresa crescer 20% ao ano

Um produto tipicamente brasileiro, a cachaça, também pode ser encontrado na forma orgânica. Desde 2007, a empresa alagoana Brejo dos Bois possui o reconhecimento do Instituto Biodinâmico de Desenvolvimento Rural (IBD), que garante o selo de certificação orgânica nas embalagens dos produtos, comprovando que a empresa segue os preceitos da produção agrícola ecológica. Além da bebida, a empresa também produz mel de engenho. A escolha pela produção orgânica aconteceu depois de uma visita ao Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) da região. "Eu tinha uma amiga consultora que era entusiasta dos orgânicos. Ela me convenceu a aderir a esse tipo de cultivo", diz Lenildo Amorim, proprietário da empresa. 
Antes de produzir cachaça, Leonildo, que também é médico urologista, usava sua fazenda em Junqueiro (AL) apenas para pastagem de gado e campo de vaquejada. "Vi naquele pedaço de terra a oportunidade real de fazer negócio", conta. Por quase quatro anos, ele, sua equipe e um agrônomo contratado especificamente para ensinar o manejo de uma cultura orgânica preparam o solo da região. A partir de 2007, a empresa começou a operar para valer. "Foi também um quebra de paradigma. Meus vizinhos achavam que não seria possível plantar sem agrotóxicos. Agora, eles enxergam a questão de outra maneira." 
Hoje, quatro produtos são fabricados em uma indústria dentro da propriedade: cachaça orgânica envelhecida, cachaça orgânica com mel, cachaça orgânica tradicional e mel de engenho. As infestações são tratadas com caldas, criação e soltura de inimigos naturais, armadilha e catação manual - técnicas alternativas ao uso de agrotóxicos. A produção anual é de 7 toneladas de mel e de 30 mil litros de cachaça, sendo que 95% é distribuído para Alagoas e os outros 5% para o restante do Brasil. Lenildo conta que no último ano a empresa cresceu 20% em faturamento e que, para 2012, a estimativa de aumento é de 15%. A diminuição do percentual, explica, deve-se ao fato de a Brejo dos Bois já dominar o mercado de cachaça em Alagoas. 
"Seis empresas são produtoras no Estado. Arrisco a dizer que vendo mais do que todas as outras cinco juntas", afirma. O motivo é justamente a aposta em orgânicos. "Quando começamos, nosso produto era cerca de 20% mais caro. Mas hoje, não. Além disso, o sabor é diferente", esclarece. Isso porque o solo orgânico faz com a renovação da cana demore mais tempo. "Enquanto em um solo convencional a renovação acontece a cada cinco ou seis anos, no orgânico varia entre oito e dez anos", explica Lenildo. 

 Fonte: http://invertia.terra.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...