quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Equipamentos irão impulsionar a venda de orgânicos no MS

Segundo dados da Anvisa, o pimentão foi o alimento que mais apresentou contaminação por agrotóxico, 91% da quantidade avaliada em todo o Brasil no ano passado. A mesma pesquisa apontou que em 2009, quase oito mil pessoas no país foram diagnosticadas com intoxicação por excesso de agrotóxicos em frutas, legumes e verduras, o que pode causar até câncer. Para mudar esta realidade em Mato Grosso do Sul, produtores rurais da região tem se dedicado, cada vez mais ao plantio e a comercialização de produtos orgânicos com a prática da agricultura agroecológica, ou seja, sem utilização de produtos nocivos à saúde humana.
Depois de passarem por capacitação para um melhor manejo do solo, 272 produtores rurais das cidades de Campo Grande, Sidrolândia, Jaraguari, Terenos e Bandeirantes receberam na última quarta-feira, 7 de dezembro kits para comercialização de hortaliças, frutas e verduras por meio do projeto PAIS – Produção Agroecológica Integrada e Sustentável. A iniciativa é uma parceria entre o Sebrae, a Fundação Banco do Brasil, prefeituras municipais e Banco do Brasil por meio do DRS (Desenvolvimento Regional Sustentável). Durante o evento, prefeitos municipais e representantes das entidades parceiras e prefeitos assinaram termo de concessão de uso dos equipamentos de comercialização. Segundo o documento, as respectivas prefeituras serão responsáveis pela administração dos materiais por cinco anos e devem apresentar plano de trabalho de utilização dos itens. Após este período, todos os equipamentos serão doados às associações e cooperativas dos municípios.
O kit entregue reúne balanças, aventais, barracas e caixas plásticas; equipamentos para auxiliar na comercialização dos produtos em feiras e sacolões das cidades. “Na feira de Bandeirantes faltava estrutura para melhor adequação dos produtos durante a venda, o que será sanado com a entrega das barracas e demais materiais”, diz o prefeito do município, Flávio Gomes. O diretor de desenvolvimento econômico do meio ambiente e turismo de Terenos, André Borges, representaram o prefeito do município, Beto Pereira. Segundo André, a agricultura agrega 60% da economia da cidade. “Com a entrega dos kits, haverá um desenvolvimento no setor econômico municipal”, avalia o diretor. A ideia de ampliação da economia também foi compartilhada pelo prefeito de Jaraguari, Valdemir Nogueira de Souza. “Esta etapa é um progresso para os produtores rurais de todo o Estado e melhoria para cada um dos municípios contemplados”. Além dos equipamentos, Campo Grande e Sidrolândia receberam ainda caminhão com capacidade de 5.500kg e seguro do veículo.
“O caminhão vai ajudar no escoamento dos produtos até o local de venda”, destaca o prefeito de Sidrolândia, Daltro Fiuza. Segundo o prefeito da Capital, Nelson Trad Filho, o agronegócio no País faz parte da cultura dos antepassados e o incremento de tecnologias visa ao desenvolvimento no setor. “Este ano, o Brasil não teve o crescimento esperado, mas o índice só não ficou negativo devido aos números do agronegócio, daí a entendermos a importância deste setor para o Brasil na economia nacional e também na subsistência”, analisa o prefeito. Os dados de comercialização do projeto PAIS em 2011 apontam que 78% da produção no Estado foi revertida para venda, enquanto 12% foi destinada ao consumo próprio. Os números ainda são baixos, segundo analisa o presidente do conselho deliberativo do Sebrae/MS e presidente da Famasul, Eduardo Riedel. “Mais de 70% dos produtos vendidos em MS ainda são importados de outros Estados. Esta parceria visa justamente ao aumento da produção regional para abastecer os consumidores locais”, conclui Riedel.
A parceria também foi destacada pelo superintendente do Banco do Brasil, Luíz Alves Pordeus Júnior. “A junção dos parceiros é uma importante ferramenta na melhoria da qualidade da produção da receita estadual e no aumento da renda dos produtores rurais”. Exemplo disso é Geraldo Cachoeira, produtor rural da cidade de Terenos, que fechou a produção de 2011 com R$ 28 mil. “Recorde na produção anual, o que significa melhoria na auto-estima”, destacou “seo” Geraldo. O diretor técnico do Sebrae, Tito Estanqueiro, lembra que o aumento da renda dos produtores é devido ao estudo da parceria que diagnosticou os melhores lugares para a comercialização dos produtos. “Antes a produção era utilizada somente para a subsistência, agora virou fonte de renda familiar”. A comercialização, de acordo com o presidente da Organocop - Cooperativa dos Produtores Orgânicos da Agricultura Familiar de Campo Grande, Osmar Schossler, era o gargalo da produção na agricultura. “Agora os órgãos públicos estão voltados para os pequenos produtores e esta parceria atende às necessidades da nossa categoria”, afirma. Projeto - O Projeto PAIS teve início em Mato Grosso do Sul há cinco anos com foco na melhoria de vida dos produtores rurais do Estado.
Para aprender o cultivo livre de agrotóxico eles tiveram auxílio na escolha da melhor área de plantio, formas de diminuir custos e manejo para produtos agroecológicos. Dos produtores rurais que recebem os kits, 70% já comercializam a própria produção e vende os produtos em feiras e sacolões, o que garante renda mensal de até R$ 1 mil. Até agora, mais de cinco mil consultorias de assistência monitoramento e de avaliação foram realizadas; além de 51 capacitações; 48 reuniões de sensibilização e de monitoramento e 25 visitas técnicas e dias de campo. Em 2010, 119 produtores dos municípios citados participaram do processo de certificação para orgânicos, este ano mais 100 estão em processo de adequação ao cultivo.


Fonte: http://www.msnoticias.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...