segunda-feira, 30 de maio de 2011

Semana para reflexão e divulgação de alimentos orgânicos é aberta na Capital

Solenidade de abertura da Semana Nacional no auditório
do Sebrae na Capital

Uma semana nacional dedicada à reflexão, divulgação sobre a produção e consumo de alimentos orgânicos acontece a partir desta segunda-feira (30) no Brasil. Mato Grosso do Sul, que segundo a Superintendência Federal de Agricultura, já conta com 200 produtores, também contará com eventos, em pelos menos cinco municípios.Nesta manhã, no auditório do Sebrae em Campo Grande, foi aberta a discussão sobre a valorização da produção e o consumo dos gêneros orgânicos no Estado, com autoridades do setor governamental, produtores e entidades como a Organização não governamental (ONG) Planeta Orgânico e WWF.
De acordo com o gerente de Agronegócios do Sebrae, Marcus de Faria, a semana é nacional para que os Estados, ao mesmo tempo, organizem e mostrem os benefícios da prática. “A semana é organizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Comissão de Produção Orgânica em MS, produtores e entidades como o Sebrae, sendo pensado e estruturado para difundir e ‘provocar’ um impacto para que os Estados organizem e mostrem os benefícios da alimentação orgânica para o Brasil”, disse.
O gerente acrescentou que o seminário no Estado foi proposto ainda para discutir os setores que poderão ser impactados e ver as oportunidades para a agricultura na horticultura, fruticultura e até mesmo a pecuária que é forte no Mato Grosso do Sul.“Vamos analisar os campos já existentes, mas também os futuros, como a criação bovino, que é forte no Estado, mas deve ampliar a criação bovina orgânica. Desde tratamento da pastagem, alimentação e produtos químicos aplicados. A produção orgânica proíbe medicamentos que causam resíduos de agroquímicos, como os carrapaticidas”, explicou.

Números atuais e Ampliação

Para a diretora da ONG nacional Planeta Orgânico, Maria Beatriz Costa, esta semana é para ser feita parcerias, sensibilizar e ampliar a discussão sobre os produtos, pois o tema é recente e até uma nova Lei somente saiu em janeiro desde ano.“Precisamos sensibilizar e ampliar o trabalho, mostrar até que existe uma Lei, que agora sim amparados recentemente com a Lei do orgânico que foi publicada em janeiro de 2011, podemos fortalecer toda a cadeia que participamos e queremos levar a mais gente no Brasil”, argumentou a diretora.
Beatriz revela que como a lei é recente, os trabalhos ou números oficiais também são ou mesmo ainda não existem. Assim está sendo feito um levantamento pelo Mapa, que deve mostrar o volume e amplitude atual da produção nacional.“O Mapa está fazendo um levantamento oficial, o que existe hoje é uma estimativa do IBGE, onde 90 mil praticam a agroecologia ou a agricultura de orgânicos”, explicou.Segundo Fábio Ramos, da empresa do Rio de Janeiro, Agrosuisse, a movimentação financeira do setor já chega aos R$ 400 milhões, entre a produção de verduras, frutas, grãos, carne, leite e sucos.“Temos toda uma cadeia e que já movimenta quase meio bilhão e pretendemos fortalecer toda a cadeia em MS também, que está crescendo”, disse.

Perspectivas

Segundo Beatriz, as perspectivas são animadoras e vai se alavancado quando o mercado perceber a grandiosidade do projeto, principalmente com projeto para os próximos quatros anos de ‘utilizar’ a Copa de 2014 como propulsora deste processo.“Estamos levando o projeto Copa Orgânica, onde vamos lutar para incluir os produtos na Copa 2014. Esse é nosso projeto para os próximos quatro anos. E quando o mercado ver os produtos na Copa, vamos conquistar mais gente e fazer, ampliar o setor”, revelou.Beatriz disse que anunciará no encontro a criação e buscará apoios para o Núcleo temático Copa Orgânico, que se oficializou na semana passada.

Encontros por MS

O encontro será a 7ª Semana de Alimentos Orgânicos no Estado, que segue até o dia 4 de junho, com palestras, mostra de soluções sustentáveis, exibição de vídeos e distribuição de materiais sobre os alimentos em Campo Grande, Corumbá, Ladário, Bodoquena, Jateí, Jaraguari, Glória de Dourados, Deodápolis, Nova Alvorada do Sul e Mundo Novo.Segundo o superintendente federal de Agricultura, Orlando Baez, o encontro será também para discutir a produção local, os problemas, aspectos legais e requisitos básicos para os produtos.
“Vamos falar de todos os pontos citados e apontar que nosso mercado está em expansão. Temos hoje 200 propriedades e podemos passar para 500, por meio da Associação de produtores orgânicos de Mato Grosso do Sul, que receberá certificado participativo e poderá avançar até para a exportação”, revelou.Baez mostrou que 16 fazendas já são certificadas e que a cada dia temos que acompanhar o foco mundial da sustentabiliade.
Na região de Corumbá e Ladário, a programação da 7ª Semana de Alimentos Orgânicos inclui palestras que serão realizadas diariamente em diversas escolas da rede municipal, assentamentos e centros culturais, destinadas a estudantes, professores e agricultores.Uma escola municipal de Piraputanga/Aquidauana, também aderiu à programação. Um vídeo sobre produtos orgânicos para crianças será exibido em várias oportunidades.



Fonte: http://www.capitalnews.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...