sexta-feira, 16 de julho de 2010

Comissão européia vê forte crescimento no comércio de alimentos orgânicos


As importações de produtos alimentares orgânicos para a União Européia são susceptíveis de aumentar drasticamente a demanda e superar a oferta doméstica, de acordo com um relatório publicado nesta sexta-feira.
Com uma maior demanda por produtos orgânicos nos estados membros ocidentais mais ricos da UE, também poderia produzir um aumento no comércio intra-europeu,além disso, a produção orgânica tem crescido muito mais rápido do que a procura na Europa central e oriental dos países europeus nos últimos anos, segundo o relatório.
"Nestas condições, não é nenhuma surpresa que o comércio entre os Estados-Membros e as importações provenientes de outros países aumentará a um ritmo acelerado", disse a Comissão Européia.
A despesa de varejo de alimentos orgânicos em média perfaz um total de 14,4 bilhões de euros (18,69 bilhões dólares) por ano em 2006 e 2007, mostrou os dados no relatório. Mais de 80 por cento dos gastos no varejo total esta concentrada em quatro países: Alemanha, Grã-Bretanha, França e Itália.O consumo de alimentos orgânicos na Grã-Bretanha foi duramente atingida pela recessão econômica,com uma queda de 13,6 por cento, disse a Comissão. Em contrapartida, a demanda permaneceu estável no ano passado no maior mercado da Europa orgânica, na Alemanha, e continuou a crescer fortemente na França e Itália.
"Este forte crescimento foi impulsionado pela entrada de todos os grandes varejistas, incluindo descontos rígidos, no mercado”, concluiu o relatório. Em termos de produção, a agricultura orgânica representava 4,3 por cento da área total do bloco agrícola em 2008, com 7,7 milhões de hectares.
A Itália tem tido por muito tempo a maior área plantada para a agricultura orgânica na Europa, mas foi ultrapassado no ano passado pela Espanha, com 1,1 milhões de hectares. “Alguns dos pioneiros no setor, como a Dinamarca, Finlândia, Suécia ou a Itália parece ter atingido um patamar ou mostrar apenas o crescimento lento “,de acordo com a comissão.
A produção em países pioneiros, incluindo a Áustria e a Alemanha continua a crescer a um ritmo sustentado, acrescentou. “Apesar da disponibilidade dos mercados de exportação na Europa Ocidental, a produção, nos 12 países que aderiram à UE desde 2004 pode ser ameaçada pela baixa procura interna, advertiu o relatório”,” Isto pode implicar algumas dificuldades para os produtores para vender os seus produtos e pode comprometer a sustentabilidade do setor em geral”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...