domingo, 9 de maio de 2010

Com o aumento do interesse do consumidor pelo algodão orgânico, a indústria busca a definição do que são práticas sustentáveis


O algodão orgânico representa uma pequena parcela do mercado mundial do algodão - menos de 1 por cento, segundo estimativas -, mas está crescendo.E com várias grandes marcas e varejistas comprometendo-se em utilizar misturas orgânicas em algumas linhas de produtos, o algodão orgânico pode se tornar a fibra escolhida por muitos consumidores.Isso colocou a indústria do algodão tradicional, que depende fortemente de insumos químicos, na defensiva.
Para contrariar a percepção orgânica que é melhor para os consumidores e para o ambiente, o Conselho Nacional de Algodão da América, juntamente com a Cotton Inc. e outros grandes grupos de produtos agrícolas estão financiando um estudo para chegar a uma definição de "sustentável" que eles esperam passará a fazer parte da regulamentação do Departamento de Agricultura dos E.U.A definindo assim o que é "algodão orgânico" que há quase uma década ainda não existe.Mesmo que a definição não seja concluída, William Norman, vice-presidente de serviços técnicos para o NCC, afirmou que "sustentável" com certeza não vai mais ser sinônimo de "orgânico".
"Existem sistemas de produção convencionais, que são mais sustentáveis do que alguns sistemas de produção orgânicos, e existem alguns sistemas de produção orgânica, que são mais sustentáveis do que alguns sistemas de produção convencionais", disse Norman. Ou, como Janet Reed, diretora associada de pesquisa ambiental para Cotton Inc., argumenta, herbicidas, pesticidas e fertilizantes sintéticos podem ser parte de uma agricultura sustentável."Eles ajudam os produtores a obter maiores rendimentos com menos terra, menos água, menos fertilizantes e menos energia, enquanto perdem menos do solo", disse ela.
O Keystone Center baseado em Denver leva o crédito por trazer a discussão os dois grupos de algodão, juntamente com a Monsanto, o instituto do fertilizante, a Associação Nacional de Conservação e mais de 30 outras organizações pretendem elaborar uma definição técnica para o desenvolvimento sustentável. Estávamos conscientes de que" sustentável"e" agricultura sustentável "foram os termos que foram crescendo em popularidade, mas não foram bem traçados", disse Julie Shapiro, associado ao Centro de Keystone. Ela esteve envolvida na promoção, gestão e coordenação do projeto que veio a ser chamado de: A Aliança Keystone para Agricultura Sustentável.
As organizações que se reuniram, disse ela, concordaram que a sustentabilidade seria definido por um foco nos resultados em vez de práticas. Uma definição, que saiu no ano passado, incorporou as tendências nacionais no uso da terra, uso da água, uso de energia, perda de solo e as emissões de gases de efeito estufa por fardo de algodão. Pesticidas, por exemplo, foram avaliados em termos de quantidade de energia necessária para fabricar e aplicá-los. Os defensores da agricultura orgânica criticam a definição por deixar de fora muitas coisas, tais como a toxicidade de pesticidas para os seres humanos e animais selvagens. Shapiro disse que a aliança do agronegócio está buscando refinar a definição, incluindo medições da qualidade da água, a biodiversidade, a saúde sócio-econômico dos agricultores, e a saúde dos mercados de crédito ao ecossistema, tais como os mercados de negociação de carbono. Eles não vão, no entanto, lidar com a transferência de características genéticas de organismos geneticamente modificados, disse ela. "Nós não estamos tentando fazer juízos de valor sobre o que é realmente sustentável, mas sim o ponto em que se tem sido feito progresso e trabalhar para construir um sistema que apóie a melhoria contínua", finalizou Shapiro.


Tradução e Pesquisa:Mundo Orgânico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...