quinta-feira, 20 de maio de 2010

Alimento orgânico para resgatar, construir e afirmar

Angela Escosteguy e Juarez Tosi (E) e Juarez Pereira (D)
no café orgânico hoje na Brasserie


Se um bom dia começa com um bom café da manhã, as perspectivas são ótimas para os jornalistas e demais convidados que estiveram hoje no lançamento da VI Semana do Alimento Orgânico, na Tortaria Café Brasserie, onde foi oferecido um café da manhã orgânico, ou seja, ecologicamente equilibrado. O convite foi da Comissão Estadual da Produção Orgânica no Rio Grande do Sul, CPOrg-RS, juntamente com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por meio da Superintendência Federal de Agricultura no Rio Grande do Sul.
O superintendente Francisco Signor disse que são eventos como a VI Semana do Alimento Orgânico, que acontece em todo o Brasil entre 24 e 30 de maio, que reafirmam o compromisso de avançar rumo à conscientização de mais pessoas para a importância de viver de acordo com a natureza e, rumo à certificação dos produtos. Signor lembrou da expectativa de que se confirmasse a exigência de certificação em todo o País a partir de 2010, conforme fora estabelecido pelo governo. Porém, mesmo tendo sido feito o adiamento por um ano, foi iniciado o credenciamento no Sistema pelos produtores e pelas organizações. Assim, a partir de janeiro de 2011, exceto aqueles produtos vendidos diretamente pelos agricultores familiares, todos deverão levar o selo do Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica (Sisorg).


Uma atividade de esperança


Conforme a coordenadora da CPOrg/RS, Angela Escosteguy, o nosso Estado é o mais avançado na temática. O que fica evidenciado também pela realização da VI Semana do Alimento Orgânico, que terá 152 eventos em mais de 40 cidades do Rio Grande do Sul e 60 eventos apenas em Porto Alegre. Representantes da Feira dos Agricultores Ecologistas de Porto Alegre prestigiaram o café orgânico e contaram as vantagens da adesão a esta causa. Para Juarez Pereira, da Banca do Arroz, “a agricultura orgânica é uma atividade de esperança porque faz um resgate, uma construção e uma afirmação”. Conforme explicou, quando a produção é ecológica ocorre um resgate cultural, de saberes e de sabores; ocorre também a construção de canais de comercialização e a criação de novas relações; e ainda, acontece a afirmação de um modelo, a comprovação de que é possível a permanência das famílias no campo. “Quando falamos com os agricultores orgânicos percebemos o desejo de continuar, o que é diferente quando falamos com os agricultores químicos. Nós trabalhamos em um ambiente de boa vontade, onde o ser humano e a natureza atuam de forma integrada, fazendo com que o alimento que fornecemos à cidade seja fruto desta relação equilibrada,” completou.
Flávia Ryzewski, do Sítio Nahyr, apresentou o Guia da Feira, em comemoração ao aniversário da Feira dos Agricultores Ecologistas, que completa 21 anos em outubro – o que também confirma o pioneirismo do Estado na produção orgânica e na consciência ecológica. Ali pode-se encontrar os contatos dos feirantes e a localização das bancas. Ela adiantou que no próximo sábado haverá a distribuição deste Guia e também de sementes orgânicas aos clientes.


Multiplicação de informações


As entidades membros da CPOrg/RS dividem-se entre governamentais e da sociedade civil. O NEJ-RS que está na gestão 2009/2011 e é representado pelo diretor de Comunicação, Juarez Tosi, participará da VI Semana do Alimento Orgânico fazendo a cobertura jornalística do maior número possível de eventos. Do Banrisul, a representante na Comissão é Simone Portela de Azambuja, que adiantou que o banco fará a doação de sementes orgânicas e mudas a mais de 30 municípios durante a VI Semana do Alimento Orgânico, além de distribuir folders com ecodicas e informações sobre as ações do banco na área socioambiental. Ela contou que a adesão da agricultura familiar à produção orgânica é facilitada pelo Pronaf através de diversas linhas, inclusive, para a geração de energia renovável na propriedade. E considera fundamental a divulgação e multiplicação destas e de todas as informações possíveis sobre a importância da agricultura orgânica a toda a sociedade.
Também colaborando com a multiplicação destas informações, está Regina Dossin, a proprietária da Brasserie. Ela contou que, ao completar dez anos de atuação em 2008, o restaurante aderiu à proposta ecológica e oferece no seu cardápio as refeições feitas com produtos orgânicos, além de convidar o cliente a refletir sobre a importância de ter uma alimentação que, desde a sua origem, seja equilibrada em todas as suas relações: de produção, de nutrição, de trabalho, de transporte, de descarte dos resíduos, etc. Ela que realiza palestras no local, inclusive explicando o funcionamento de uma composteira, afirma que o avanço rumo a uma alimentação orgânica, vai depender muito do consumidor. “É uma questão cultural, um processo através do qual o cliente passa a entender que oferecer produtos orgânicos é um ato de respeito a ele e não o contrário,” disse, lembrando que a característica principal dos orgânicos: a sazonalidade.




Fonte:Por Eliege Fante - Redação da EcoAgência

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...