quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Ampliação do Mercado Municipal de Curitiba começa em janeiro

Comerciantes, clientes, funcionários e moradores da região do Mercado Municipal de Curitiba debateram nesta quarta-feira (16) o projeto de ampliação e reforma do Mercado, obras que começam em janeiro de 2010. A audiência pública organizada pela Secretaria Municipal do Abastecimento reuniu cerca de 200 pessoas no auditório do Mercado de Orgânicos. "A obra não será uma interferência estética, é necessária para adequar o mais tradicional espaço gastronômico da cidade ao crescimento que vem acontecendo", destacou o secretário do Abastecimento, Norberto Ortigara. Por semana, circulam no Mercado cerca de 50 mil pessoas. A previsão é que, em 2012, a circulação chegue a 66 mil pessoas.
Antes da audiência, o projeto já vinha sendo debatido pela Prefeitura com os comerciantes. Nesta quarta-feira, técnicos da Secretaria e do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC) apresentaram as fases da obra e os principais problemas que serão resolvidos, como adequação do espaço de restaurante, lanchonetes e praça de alimentação, área de carga e descarga, acessibilidade e banheiros.Com a obra, o Mercado passará de 12.900 metros quadrados (contando a nova ala de orgânicos) para 33.300 metros quadrados. Para a ampliação, dois terrenos em volta do Mercado foram adquiridos pela Prefeitura, e um terceiro está em processo de desapropriação. Também participaram da audiência o secretário municipal de Governo, Rui Hara, e o deputado estadual Douglas Fabrício.
A primeira etapa das obras começa pela construção de um prédio que será a entrada principal do Mercado, na lateral da avenida Sete de Setembro. No hall será construída uma arena para aulas-shows de gastronomia. A maior intervenção será na área de restaurantes e lanchonetes, que ficará mais espaçosa, principalmente para os clientes.Hoje, são 680 lugares para os clientes se sentarem. Com a ampliação, esse número chegará a 1.200 lugares.A metragem mínima dos restaurantes será de 70 metros quadrados. As praças de alimentação serão integradas, como se fosse um ambiente só. Além da estrutura, será modernizado todo o sistema elétrico e hidráulico do Mercado.Todo piso superior da ala da rua General Carneiro, onde antes ficavam as salas de administração do Mercado, será reformado e transformado em um mezanino para lanchonetes, que terão vistas para as bancas de frutas e hortaliças.
No fundo do bloco ficarão banheiros exclusivos para funcionários e comerciantes. Os caixas-automáticos, hoje espalhados em diferentes pontos, ficarão nos fundos do novo mezanino.Transferências - Nessa primeira fase, a obra levará cerca de 14 meses, e o Mercado funcionará normalmente. Junto com a construção da nova entrada, será preparada uma infraestrutura no estacionamento ao lado do Mercado de Orgânicos, para onde serão transferidos 15 restaurantes e lanchonetes. A Prefeitura está preparando um plano de comunicação para informar os clientes das modificações provisórias.Eliseu Suguimati, proprietário do restaurante Box do Eliseu, acha a ampliação do Mercado uma necessidade. "Em menos de 10 anos, o movimento no meu restaurante aumentou 80%.
Nos fins de semana, os clientes chegam a esperar na fila mais de 30 minutos", disse Suguimati, que participou da audiência para conferir se a obra será feita dentro do prazo previsto. "Quero saber se o cronograma de obras será cumprido", disse o comerciante.As peixarias serão outra ala da reforma. Elas ganharão mais espaço interno para manipulação de alimentos. "O Mercado só tem a ganhar com essa reforma. Nosso movimento aumentou muito e, por condições de higiene e atendimento, é preciso aumentar alguns setores. A Prefeitura tem o nosso apoio", disse o dono da Peixaria São José, Kielvim Alberti.Edifício Garagem ? Na metade de 2010, a Prefeitura lançará um edital de licitação de parceira público/privada para construção de um edifício garagem, na rua da Paz.
O prédio terá sete andares com 460 vagas rotativas de estacionamento.Além do estacionamento, no subsolo, será construída uma área exclusiva para carga e descarga das mercadorias e vestiário com chuveiros para funcionários do Mercado. Atualmente, o descarregamento de mercadorias é feito em todas as entradas, principalmente pela rua General Carneiro, dificultando o controle de limpeza e o trânsito em volta do Mercado. O novo setor eliminará transtornos com o trânsito e, principalmente, trará maior controle de higiene e segurança alimentar ao Mercado Municipal.Com as novas obras e reformas, todo o Mercado será adaptado às normas de acessibilidade, com elevadores e rampas. Outra melhoria será a um novo sistema de comunicação visual que vai melhorar a circulação dentro do Mercado Municipal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...