domingo, 30 de agosto de 2009

O Controle biológico pode ser uma alternativa aos agrotóxicos


O controle biológico de pragas e doenças em plantas, pode ser uma alternativa ao quadro exposto recentemente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa: o Brasil é o terceiro maior consumidor de produtos agrotóxicos no mundo e o primeiro na América Latina.
Alguns pesquisadores têm se mobilizado para evitar o uso de agrotóxicos, considerados prejudiciais ao meio ambiente, onerosos e arriscados para muitos produtores. O controle biológico, visto como alternatica, consiste no emprego de um organismo (predador, parasita ou patógeno) que ataca outro que esteja causando danos econômicos às lavouras. Trata-se de uma estratégia que pode ser utilizada em sistemas agroecológicos e na agricultura convencional. No Brasil, embora o uso do controle biológico não seja uma prática generalizada entre os agricultores, há avanços significativos em alguns cultivos.
Um exemplo de sucesso é o controle da lagarta da soja (Anticarsia gemmatallis) por meio do Baculovirus anticarsia. Essa prática foi lançada pelo Centro Nacional de Pesquisa da Soja em 1983 e, desde então, o produto foi utilizado em mais de dez milhões de hectares, proporcionando ao país uma economia estimada em cem milhões de dólares, sem considerar os benefícios ambientais resultantes da não-aplicação de mais de onze milhões de litros desses produtos.
Outros exemplos podem ser citados, como o vírus, desenvolvido no IAC, que acabou com a Tristeza do Citrus (laranja pêra), doença que prejudicou a economia da laranja, na região de Limeira. O controle biológico viral funcionou em um sistema de premunização, isto é, foi inoculado à planta o mesmo vírus causador da doença, mas enfraquecido. Isso protege a planta contra o ataque, semelhante ao funcionamento de um sistema imunológico. O controle biológico também pode ser feito por meio de bactérias, fungos e tricoderma.
A Lixa do Coqueiro, por sua vez, é uma doença limitante à cultura do côco, pois enfraquece as hastes dos cachos do coqueiro. O fungo aplicado solucionou o problema na região nordeste, graças a uma aplicação mais prolongada e eficiente. No entanto, o fungo para controle biológico demanda maior tempo e manejo.
Segundo Marcelo Morandi, pesquisador da Embrapa Meio Ambiente, em Jaguariúna, o homem tem papel fundamental nesse processo de controle biológico, por causa do manejo da cultura: “A redução das doenças e pragas que atingem as plantações pode acontecer pela ação de um ou mais organismos, dependendo do ambiente em que tudo acontece e o homem, manejando a produção, será responsável por isso”, afirma ele.

Adoção de controle biológico é limitada no Brasil

Por razões sociais, econômicas, legais e técnico-científicas, o uso do controle biológico para combater doenças em plantas ainda é restrito no país. Entre os principais fatores, estão a cultura do controle químico e a necessidade de tempo e manejo, o que leva os produtores a preferirem os agrotóxicos. Segundo Morandi, até mesmo a formação acadêmica do profissional de agronomia é deficitária nesse aspecto: “A graduação oferece poucas disciplinas sobre o assunto e enfatiza que o controle químico é a única alternativa para combate de pragas e doenças.”
Além do crescimento do uso de agrotóxicos, ainda há o problema da falta de equipamentos de segurança na hora de aplicar o produto, em especial, pelos pequenos agricultores. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Brasil, os trabalhadores do campo convivem cada vez mais com os agrotóxicos. A principal conseqüência é o aumento dos riscos de contaminação de produtos da agropecuária com resíduos químicos prejudiciais à saúde. A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que aproximadamente três milhões de pessoas são intoxicadas por ano em decorrência da utilização de agrotóxicos. Dessas, 220 mil morrem e 750 mil adquirem doenças crônicas.
Os agricultores poderiam utilizar com mais freqüência o controle biológico, mas não há campanhas de conscientização no campo e em contrapartida, as indústrias de pesticidas investem alto na divulgação de seus produtos, facilitando a comercialização. Os produtores, em sua maioria, desconhecem os problemas de contaminação ambiental pelos materiais químicos.
Conforme Morandi, não existe apoio ou incentivo fiscal ao desenvolvimento e uso de agentes de controle biológico e, tampouco, programas de financiamento que promovam P&D nessa área. Os produtos de controle biológico precisam evoluir bastante, pois ainda são artesanais, dificultam comercialização e possuem baixa vida de prateleira. Por isso e por causa da excessiva burocracia, ainda não há produtos registrados para controle biológico comercial no Brasil.
Entretanto, muito já está sendo feito e a meta é que o controle biológico seja, em breve, o principal mecanismo para combate das doenças em plantas, já que está havendo aumento contínuo de controle biológico em todas as culturas, principalmente para agricultura convencional. Além disso, consumidores estão cada vez mais preocupados com o consumo de agrotóxicos. Soma-se a isso, o crescimento de mercado externo, maior interesse empresarial e iniciativas de financiamento por parte da Fapesp e do Sebrae.

Fonte:http://www.comciencia.br

2 comentários:

  1. Parabêns pelo BLOG Décio! Eu Jardel Scaciota Tavares estou terminando o curso de olericultura orgânica, e sou descedente de portugueses que sempre trabalharam com cultivo totalmente orgânico, e acabo de passar por uma experiência com aplicação de agrotoxicos. Exemplo: Após ter feito um jardim com plantas todas elas inoculadas e usando somente produtos orgânicos, com o aparecimento de antracnose e pulgões em 5% do jardim, resolvi passar uma receita de agrotoxico que é,decis 500,junto com eskabim,enxofre e sulfato de cobre,e em três dias ví que eu tinha acabado com as pragas, mas também com os microorganismos, e em cinco dias as plantas foram mais atacadas por fungos e bactérias. Estou conseguindo a melhorar o jardim com biofertilizantes e inoculantes.Taí o meu recado e muito Obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Nossa Isso Me Ajudou Muito No Trabalho Graças Á Você Consegui Tirar Á Nota Máxima 3.0 Parabéns Blog Perfeito .

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...