quarta-feira, 1 de abril de 2009

Aditivos alimentares e Hiperatividade Infantil (ADHD)


O número de crianças diagnosticadas com o chamado Distúrbio Deficitário de Atenção com Hiperatividade, conhecido popularmente como “Hiperatividade”, vem aumentando bastante e já é palavra comum no meio escolar. A Food Standards Agency, órgão do Governo Inglês criado para proteger a saúde do consumidor em relação aos alimentos, recebeu apoio do parlamento para promover a retirada voluntária de seis corantes dos alimentos industrializados até o final de 2009. Esta ação foi substanciada por um estudo conduzido na Universidade de Southampton e publicado em Setembro de 2007 no prestigioso periódico médico “The Lancet”, um dos mais respeitados no mundo. Outros estudos já sugeriam que certos aditivos alimentares poderiam ter relação com o comportamento infantil. Membros do Parlamento da União Européia (MEPs) também já haviam votado a favor da inclusão da frase “May have an adverse effect on activity and attention in children” (pode ter um efeito adverso nos níveis de atividade e atenção em crianças) em produtos que contenham algum dos 6 corantes descritos no estudo. São eles: Sunset Yellow FCF (E110), Quinoline Yellow (E104), Carmoisine (E122), Allura Red (E129), Tartrazine (E102) and Ponceau 4R (E124). O estudo de Southhampton também incluiu um outro aditivo polêmico de uso frequente: o benzoato de sódio, um conservante.Embora esses estudos encontrem resistência por parte da indústria, que critica os métodos utilizados, devemos estar alertas e optar por versões mais naturais e orgânicas sempre que possível.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...